0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais

Você sabia?

12º ENATS

Nos dias 13 e 14 de junho, aconteceu em Belo Horizonte, MG, o 12º Encontro Nacional do Terceiro Setor – ENATS. Aproximadamente 500 pessoas representantes de Entidades sem Fins Lucrativos, do Governo e Empresários participaram do Evento. Temas relevantes foram abordados, como o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, Estratégias Inovadoras para o Terceiro Setor, Parceria entre Ministério Público e Entidades, entre outros. Foi salientada a importância da participação do Terceiro Setor na construção de Políticas Públicas e a necessidade de maior atuação junto aos vários Conselhos destas Políticas. Destacou-se ainda a importante contribuição das Entidades do Terceiro Setor nas ações desenvolvidas a favor das crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos. São realizações que fazem a diferença na vida de muitas pessoas, de muitas famílias. (Nota: Júlio César O. Brum)

A cultura do estupro

Este termo é usado para evidenciar as maneiras com que a sociedade culpa a vítima de assédio sexual e normaliza o comportamento sexual violento e invasivo dos homens. Considera-se como comportamento normal as cantadas de rua, piadas sexistas, ameaças, assédio moral ou sexual, estupro e feminicídio, sendo as mulheres culpabilizadas com ideias do tipo: “mas ela estava de saia curta”, “ela não deveria andar sozinha à noite”, “ela estava pedindo”, “ela diz que não, mas está querendo”, “ela estava provocando”…
Nesse contexto, a culpa do estupro muitas vezes é atribuída à mulher, e a responsabilidade de evitá-lo também. A cultura do estupro está nos lares, nas ruas, nas revistas, na TV, nos filmes, na linguagem, na publicidade, nas leis… Por isso, todas as esferas da sociedade devem ser mobilizadas para essa transformação. Não entre nessa!

Deixe uma resposta