0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais
Revista Catolica Olutador Leitura Orante 800×350

Você me ama mais do que esses outros?

Busca da intimidade com Deus

Procure um ambiente tranquilo, silencie, invoque a Santíssima Trindade, peça as luzes e faça a oração ao Divino Espírito Santo ou cante um refrão que ajude na interiorização.

 

A.  Situando o texto

Jesus ressuscitado aparece algumas vezes aos seus discípulos. É uma forma de confirmá-los na fé e na missão que tinham à sua frente. Jesus se aproxima, dialoga e come com eles. Nem todos os reconhecem. No entanto, na hora do partir o pão é que os olhos se abrem, como aconteceu em Emaús, e de modo semelhante quando Jesus aparece à beira-mar quando eles estão pescando.

Depois de comer com eles, Jesus tem uma conversa toda especial com Pedro. Vamos ouvir o que o Senhor nos vem falar.

 

B. O que o texto diz em si

Ler na Bíblia: João 21,15-19.

Chave de Leitura:

  1. O que Jesus pergunta repetidamente a Pedro?
  2. Como Pedro responde ao Senhor?
  3. O que Jesus recomenda a Pedro depois de cada resposta?
  4. Como respondemos, hoje, a esta pergunta de Jesus?
  5. O que Jesus nos recomenda a partir de nossa resposta?

C. O que o texto diz para nós

Neste texto, Pedro aparece como o primeiro discípulo de Jesus, como fundamento da fé na ressurreição, como modelo de apóstolo e de seguimento de Jesus. Aquele que por três vezes tinha negado o Senhor, tem a oportunidade, por três vezes, de reafirmar o seu amor.

Deus sempre confia em seus discípulos e lhes dá a chance de refazer o caminho de adesão ao seu projeto de vida. E se Jesus insiste na pergunta, é porque deseja uma adesão total, sem reservas, sem meias-medidas: uma entrega total.

Cantando: Te amarei, Senhor! / Te amarei, Senhor! / Eu só encontro a paz e a alegria bem perto de ti. (bis)

Vale lembrar que Jesus, ao perguntar se Pedro o ama mais que os outros, não reserva para si esse amor. Não se trata de uma exigência de amor egocêntrica ou fechada entre Ele e Pedro. A exigência de amor é para que Pedro se lance em missão, para que ele abrace o projeto de defesa da vida do povo, ali representada na figura dos cordeiros e das ovelhas. O grande desejo do Senhor é que todo aquele(a) que verdadeiramente o ama, coloque-se a serviço da vida do povo.

O amor que se fecha em Jesus e não se abre aos irmãos e, de modo especial, aos irmãos mais necessitados, acaba caindo no vazio, pois é neles que Jesus se deixa encontrar. “O que fizerdes (ou não) a um dos menores dos meus irmãos, é a mim que o estais fazendo”. (cf. Mt 25,40.45.)

Cantando: Te amarei, Senhor! / Te amarei, Senhor! …

 

O que o texto nos faz dizer a Deus?

a) Senhor, que nós aprendamos a vos amar de todos o coração, sem reservas e sem meias-medidas. Rezemos:

– Senhor, ensinai-nos a amar!

b) Senhor, que nós saibamos demonstrar-vos o nosso amor no zelo para com os pequeninos e na defesa da vida. Rezemos:

c) Senhor, ajudai-nos a reconhecer vossa presença amorosa em todas as circunstâncias de nossa vida. Rezemos:

 

E. O que o texto nos sugere para nossos dias?

Jesus insiste em perguntar a Pedro: “Você me ama mais do que esses outros?”

Como tem sido a nossa resposta de amor em nosso compromisso com a vida de comunidade? Por quê?

F. Tarefa concreta

Procurar exercitar o amor ao Senhor em alguma ação concreta a favor das pessoas carentes com as quais você se encontrar ou aquelas que vivem em sua comunidade.

Encerramento

Recolher-se no silêncio, procurando perceber a presença de Jesus amoroso e ressuscitado em sua vida, na vida de sua família e de sua comunidade. Pai-Nosso e pedido de bênção a Deus.]

Deixe uma resposta