0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais
12

Sábado Santo -Vigília Pascal

Leituras:
Gn 1,1-2,2; Ex 14,15-15,1;
Is 55,1-11; Rm 6,3-11; Mc 16,1-7.

Vamos dar uma ideia geral das leituras de hoje. A grande quantidade delas não permite aprofundamento. As leituras de hoje querem mostrar a caminhada de Deus com seu povo, trazendo libertação e vida

1. A obra da Criação. Aqui temos a criação do céu, da terra, do homem e da mulher. Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança, ou seja, com traços divinos. Deu-lhes com sua bênção o poder da fecundidade, o poder de multiplicar-se e administrar a Criação. E o que Deus fez era muito bom. O início do capítulo 2º mostra a conclusão da obra de Deus e seu repouso no sétimo dia.

2. Povo libertado. Este trecho narra a libertação do povo da escravidão egípcia, através da passagem do Mar Vermelho. É Deus vindo ao encontro do seu povo escravizado e trazendo-lhe a libertação através de Moisés. O v. 1 do capítulo 15 é o início do Cântico de Moisés pela vitória da libertação do povo. Os egípcios reconhecem a ação de Deus nesta frase: “Vamos fugir de Israel, pois o Senhor combate a favor deles, contra os egípcios”. Tudo isto prefigura a vitória de Cristo sobre a escravidão do pecado, trazendo libertação e vida para todos os que creem.

3. Volta para Deus. O povo, de novo, se afastou de Deus com seu pecado. Mas é só em Deus que o povo encontra abundância de vida. O profeta anuncia aqui a vida gratuita oferecida por Deus. Para isso é preciso apenas escutar a sua voz, e buscá-lo através de uma mudança de vida, pois Deus é generoso no perdão. Seus pensamentos, seus caminhos e misericórdia são totalmente diferentes dos pensamentos, caminhos e misericórdia do homem. Sua palavra fecunda e salvadora é comparada com a chuva e a neve que fecundam a terra. A palavra de Deus sempre cumpre a sua missão.

4. Vida nova. O apóstolo Paulo explica o significado da vida nova através do batismo. O batismo, mergulho na água, simboliza a morte para o pecado. Se com Cristo fomos sepultados na morte, com ele também devemos ressuscitar para uma vida nova. O sair da água simboliza a ressurreição, a vida nova. Batizar jogando água sobre a cabeça da criança não deixa transparecer com tanta clareza este aspecto fundamental do batismo-mergulho, que é a entrada na água (morte) e a saída da água (vida nova). A libertação que Cristo alcançou para nós através da cruz, nós a acolhemos através do batismo.

5. Ele ressuscitou. Para a comunidade apostólica e para as mulheres que seguiam Jesus, tudo havia acabado. As mulheres vão ao túmulo para ungir o cadáver de Jesus. Ali percebem a grande novidade. É preciso acreditar nas palavras de Jesus. O anjo lhes anuncia a ressurreição de Jesus e lhes dá a missão de anunciar aos discípulos e a Pedro (destaque para o chefe dos apóstolos) que Jesus os aguarda na Galileia conforme prometera. Para Marcos, a Galileia simboliza o lugar da Igreja, o lugar do encontro com Jesus ressuscitado.] [Comentários de:
dom emanuel messias de oliveira
Bispo Diocesano de Caratinga
Fone Cúria: (33) 3321-4600
curiadiocesanacaratinga@hotmail.com]

Deixe uma resposta