0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais

Roteiros para catequese

(Seguindo os textos litúrgicos dos domingos 12, 19  e 26 de março)

Ir. Mª Martha Johanning, Sirlei Maria Cichelero – Sinop, MT (Adaptação). Imagens: FANO

 

  1. 1. Jesus é filho amado do Pai

Objetivo: Perceber que Jesus é a realização do projeto do Pai e que seremos filhos amados pela nossa identificação com Ele.

Material: Bíblia.

 

  1. Ver (A realidade nos ensina)

– Dinâmica: “Frente a Frente”, algumas crianças voluntárias colocam-se uma por vez, em frente ao grupo e apresentam, através de mímicas (expressão do rosto, gestos ou palavras), sentimentos de alegria, raiva, medo, espanto, oração, distração, terror, susto… Depois comentar com o grupo:

  1. a) O que expressavam as mímicas? b) O que indica a transformação do rosto ou a mudança dos gestos?

 

– Experiência de Vida: Contar a história: “Veja além das Aparências.” Fernando era um pai de família. Um dia, quando voltava do trabalho dirigindo, deparou-se com um senhor que dirigia apressadamente: vinha “cortando” todo o mundo e, quando se aproximou do carro de Fernando, deu-lhe uma tremenda fechada. Naquela hora, a vontade de Fernando foi xingá-lo e impedir sua passagem, mas logo pensou: “Coitado! Vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino.” Pensando assim, deixou-o passar. Chegando em casa, Fernando recebeu a noticia de que seu filho de três anos havia sofrido um grave acidente, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranquilizou dizendo: “Graças a Deus está tudo bem, o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Fernando, foi até o médico para agradecer-lhe. Qual não foi sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem” Procure ver sempre as pessoas além das aparências…

 

  1. Iluminar (Ensinamentos de Jesus)

– Canto: A Vossa Palavra Senhor, é sinal de interesse por nós (bis).

– Palavra de Deus: Mateus 17,1-9 (Ler devagar e com expressão)

Depois da leitura podem dramatizar se quiserem.

Perguntar:

  1. a) Quais os discípulos que estavam com Jesus e para onde foram?
  2. b) Que palavras saíram das nuvens? Quem falou?
  3. c) O que Jesus falou para os discípulos assustados?

 

Para Refletir: Jesus é o Filho amado do Pai. Escutem o que Ele diz. Ele fala de amor, de pureza justiça e paz. Jesus é rei. Ele cumpre a justiça do Reino de Deus. Jesus é profeta que anuncia a vontade do Pai. Quando os discípulos ficam com medo Ele dá coragem. Hoje Ele dá coragem aos cristãos, vindo ao mundo e trazendo o projeto do Pai para transformar a sociedade. Este projeto ensina tudo o que o cristão precisa fazer para ser feliz. Ele ensina que a felicidade vem de dentro e não das coisas e dos bens materiais. Ele venceu a morte com a ressurreição. Com isto Ele trouxe a certeza de que também nós venceremos, esforçado-nos para fazer o que Ele disse e fez. Para isso precisamos superar a preguiça e o comodismo

Para guardar no coração: “Este é meu Filho amado, escutem o que Ele diz”

 

  1. Celebrar: (Colocar os corações montados ao redor da Bíblia.)

– Oração: Após cada frase, todos repetem o refrão: Escutemos o que Jesus diz.

– Nas horas difíceis… – Nos momentos de alegria… – Nas dúvidas… – Nos momentos de raiva… – Nas tentações… – Nas horas de preguiça. – Etc…

 

  1. Agir: Contar em casa o que aprendemos no encontro de catequese e motivar a todos os familiares para participar das celebrações da Quaresma…

 

Final: Pai Nosso, Ave-Maria e Bênção. Terminar com um canto a sua escolha.

 

 

  1. Água limpa da Igualdade

 Objetivo: Perceber que Jesus é água viva e transparente da igualdade.

Material: Bíblia, 5 copos com água para a dinâmica, se possível preparar um poço no local do encontro. Pode ser cartolina e dentro do poço um balde com água.

 

  1. Ver (a realidade nos ensina)

– Dinâmica: Colocar sobre a mesa 5 copos com água:

1° copo com água natural. / 2° copo com café amargo. / 3° copo com água bem doce. / 4° copo com água bem salgada. / 5° copo com água com folhas de boldo.

Convidar 5 voluntários. Cada um recebe um copo. De preferência não dizer antes o que ele contém. Em silêncio, um por vez vai tomando. O grupo observa as expressões de quem toma. Depois comentar com o grupo as reações. A (o) catequista completa: no Brasil há lugares onde a água é muito difícil. Não dá para matar a sede e nem apagar incêndios. Vamos relatar um depoimento:

 

– Experiência de Vida: O Senhor Francisco nos conta: “A história que eu vou contar aconteceu em Sergipe onde eu nasci. Durante a seca o povo foi contratado para construir um açude na propriedade de um fazendeiro. Cercaram a terra e o açude, colocaram capangas armados para vigiar. Nós e os animais sofríamos muito com a seca. Aí descobrimos que, durante a noite, os capangas dormiam. Então a gente passava a cerca e se servia de água para a nossa sobrevivência. Uma noite, depois dessa operação perigosa, na volta, o pote se quebrou. Choramos. Mas como viver sem água? Voltamos ao local, pegamos água novamente”. Comentar a necessidade da água e a discriminação: ricos têm água, pobres não têm.

 

  1. Iluminar (ensinamentos de Jesus)

Canto: Eu vim para escutar. Tua Palavra, Tua Palavra. Tua Palavra de amor.

Palavra de Deus: João 4,1-12. O catequista proclama a Palavra de Deus, devagar e com muito respeito.

Perguntar:

  1. a) Onde Jesus parou? Quem estava lá?
  2. b) Como foi a conversa?
  3. c) No final, o que fez a samaritana?
  4. d) Qual é o jeito de agir da pessoa que aceita a água viva de Jesus?

 

Para refletir:

Jesus parte sempre das coisas que usamos e conhecemos para falar de Deus. Quem é que não sente sede e não precisa de água? A água é símbolo da vida que vem de Deus. Em nosso mundo, ainda existe muita coisa errada. Há muita discriminação por causa de raça, sexo, cor, religião, pobreza. Discriminação significa ter preconceito, não aceitar como amigo (a) do grupo alguma pessoa.

Esta mulher do Evangelho representa toda a humanidade que busca a água viva da igualdade, que é Jesus. Quem aceita Jesus, bebe da água viva que Ele oferece, que é justiça, igualdade e fraternidade. E daí faz como a Samaritana: sai em busca de mais pessoas para chegarem até Jesus. Nossa sociedade tem sede de água viva de valores que favoreçam a vida. Tem sede também, de emprego e trabalho digno para todos.

 

Guardar no coração:

“Jesus: é a água viva para nossa sede.”

 

  1. Celebrar

– Oração: Ao redor do poço: Cada um faz um pedido e depois distribuir água para todos os participantes.

  1. b) Pai nosso, Ave – Maria. Pedido de bênção.

 

4 – Agir (A realidade nos convoca para…)

– Compromisso: O (a) Catequista convida as crianças com as suas famílias a participarem da missa ou culto dominical.

Procurar conhecer e estudar o tema da Campanha da Fraternidade:

Fraternidade: os biomas brasileiros e a defesa da vida.

 

Final: Cantar: És água viva, és vida nova. E todo dia me batizas outra vez…

 


  1. Feliz quem tem olhos abertos

Objetivo: Perceber que Jesus quer abrir nossos olhos para as verdades que Ele ensina.

Material: Bíblia, altar com vela, lembrança do batismo ou foto ou gravura de batizado. Objetos para a dinâmica, pano que serve como venda para os olhos.

 

  1. Ver (a realidade nos ensina)

– Dinâmica: Passar obstáculos.

Alguns voluntários retiram-se do local do encontro. Entra um por vez. Há alguns obstáculos no meio da sala. Ele faz um treino e tenta colocar os passos para passar sobre os obstáculos sem tocar neles. Depois é colocada uma venda nos olhos. Os obstáculos são retirados sem que o voluntário perceba. Em seguida ele repetirá os mesmos passos, passando como se os obstáculos ainda estivessem no mesmo lugar. (Os obstáculos podem ser: copos, garrafas, livros, estojos ou outros objetos pequenos, inofensivos).

 

– Experiência de Vida: Dialogar: Vocês conhecem ou já viram uma pessoa cega? Quais as dificuldades duma pessoa cega? Quando nós agimos como cegos?

 

  1. Iluminar (ensinamentos de Jesus)

Canto: Eu vim para escutar. Tua Palavra, Tua Palavra. Tua Palavra de amor.

Palavra de Deus: João 9,1-41. O catequista proclama a Palavra de Deus, devagar e com muito respeito. Depois da leitura, pode ser feita uma dramatização. O (a) catequista distribui os personagens. Depois, à medida que a (o) catequista vai lendo, os personagens vivem seus papéis.

 

Perguntar:

  1. a) Quem Jesus curou? Como foi o gesto da cura?
  2. b) O que fez Jesus? O que fez o cego?

c ) Quem vive na cegueira hoje, mesmo de olhos abertos?

 

Para refletir:

O cego do Evangelho tem fé no poder de Jesus. Seus olhos abrem-se e ele vê. Sua mente abre-se e ele crê. Ele não se envergonha de falar bem alto que foi curado por Jesus e sua fé cresce. Os inimigos de Jesus enxergam fisicamente, mas não enxergam o bem que Jesus fez. Criticam e sua cegueira cresce, não querem reconhecer que Jesus é o Messias, o Filho de Deus. O cego enxerga e fica na luz da fé. Os inimigos de Jesus permanecem nas trevas.

Hoje acontece o mesmo. Há muitos cristãos que se comprometem com Jesus vivo na historia, andam na luz da fé e querem ver a justiça florescer. Mas os que exploram o povo não entendem os cristãos que, sem medo se dedicam àquilo que Jesus falou. Daí vem as perseguições, as críticas.

Como cristãos devemos estar ao lado de Jesus, isto é, em favor da vida. Isto significa abrir os olhos diante do sofrimento e fazer alguma coisa para que isto acabe.

 

Guardar no coração:

“Jesus: abre sempre os meus olhos!”

 

  1. Celebrar

– Oração: Preparar um altar, acender uma vela e lembrar do batismo, quando recebemos a vela, símbolo de luz da fé e depois passar de mão em mão e fazer uma prece:

Quando estamos tristes…

Todos: Iluminai-nos Jesus!

Quando não enxergamos os que sofrem…

Quando há crianças com fome…

Quando não preservamos a natureza…

– Pai nosso, Ave – Maria. Pedido de bênção.

 

4 – Agir (A realidade nos convoca para…)

– Compromisso: Participar das atividades ligadas à Campanha da Fraternidade.

 

Final: Cantar: Minha luz é Jesus. E Jesus me conduz pelos caminhos da paz.

 

 

Deixe uma resposta