Variedades Extras
14/01/2022 Dione Afonso | PUC Minas Edição 3944 Trabalhadores milagrosos
F/ Pixabay
"Que sejamos esses trabalhadores milagrosos que desafiam sistemas e grupos sem ferir ninguém. Que dialoga e respeita o diferente. Mas, aos poucos, fazendo com que pequenos milagres nos renovem no Novo Ano que se inicia."

Que o Novo Ano seja capaz de te fazer NOVO também. Iniciar uma nova etapa, sendo os mesmos de ontem, fará o 2022 velho já em seu primeiro dia. Que o ser humano envelhecido pelas lutas diárias, desgastado pelas emoções e machucado pelos sentimentos, que se explodiram durante esses doze meses de 2021, torne-se novo e se renove a cada dia. Ser o mesmo te faz repetir os mesmos gestos que ontem e no ano que se finda. Enfrentamos muita coisa. O cansaço foi, para grande parte, o nosso maior sentimento.

Todo recomeço, novo ano, mudança de emprego, um novo integrante na família, o próximo período na faculdade, vem de uma linha temporal que nos levou até ali. Por mais que 2020 e 2021 tenham sido de baixas perspectivas e de poucas iniciativas, esse pouco realizado nos deu algo para que não recomeçássemos do zero. Chegamos até aqui com alguma coisa. Boa ou ruim, mas é algo para dar o primeiro passo.

Ultimamente, a vida tem se tornado muito rápida... Não é culpa minha, não é sua... E não se trata de condenar alguém pelo sistema que nos coordena. Trata-se de como agimos diante de uma rotina afundada em maratonas com a cabeça grudada no travesseiro. Trata-se daquilo que admiramos com os olhos colados numa tela pixelizada assistindo a vida passar e não experimentando os bons (mesmo que poucos) momentos dela. Trata-se do tanto de metas que você bateu em seu trabalho e o nível de imunidade que fortaleceu o seu corpo. Trata-se dos amigos que você se importou e das pessoas que ignorou. Trata-se do ano que se finda e do que começa. Do estilo de vida que deixa e do que assume para si como votos de conversão e de metanóia. Tornar-se NOVO no Ano Novo.

Como última atividade do ano, deixei um pouco de lado as obrigações em assistir (ou ler) um produto artístico denso e que me traria fortes reflexões e conhecimentos para degustar algo sem compromisso, mais leve e sem o peso da crítica. Foi assim que, ao revirar a minha lista de preferências nos streamings reencontrei o ator Radcliffe estampando um pôster. Dei play. A série Miracle Workes que, traduzindo livremente, é algo como “trabalhadores milagrosos” é baseada no romance americano What in God’s Name de 2012 escrito por Simon Rich e também dirige a adaptação televisiva. É uma série curtinha, história leve e cômica que satiriza conceitos muito caros a nós desde a religião até os nossos empenhos em busca do que sonhamos. Gosto do Daniel Radcliffe e gosto de vê-lo fazendo algo diferente do papel que o consagrou no mundo todo. Uma atuação leve numa comédia leve e sem ferir ninguém. Me diverti.

Em 2022, que a gente possa maratonar menos, aproveitar cada pedacinho de dia que nos é entregue. Que sejamos esses trabalhadores milagrosos que, com gestos simples e pequenos, mudaram o rumo da história. Claro, nós não precisamos mudar os rumos da história, só de mudar a nossa, já é um grande milagre. Muitos anseiam por um “ano melhor que o anterior”; outros por “um ano mais feliz”; outros ainda pedem aquelas coisinhas básicas para a vida... não importa a sua prece. Importa o quanto vai se esforçar por ela. Que sejamos esses trabalhadores milagrosos que desafiam sistemas e grupos sem ferir ninguém. Que dialoga e respeita o diferente. Mas, aos poucos, fazendo com que pequenos milagres nos renovem no Novo Ano que se inicia.

Leia também:
Nota contra a impunidade no massacre
SOS, o planeta em crise

1. Superar o ambientalismo
2. Adotar uma nova Cosmologia

3. Ter uma nova visão do mundo
4. Uma nova visão de nós mesmos
As mulheres na Igreja e o diaconato feminino

Reconstruir a vida e a sociedade com saúde para todos

Para a Paz em 2022

Sinodalidade e Missão da Igreja

Espírito Renovado

22 missinários mortos em 2021

Solidariedade aos atingidos pelas enchentes

Senso Moral na pós-verdade

Jesus x Papai Noel: uma reflexão necessária

Desmond Tuto: um grade guerreiro da justiça

Sexualidade e amor conjugalIncômoda mensagem de natal
Bendito o fruto do teu ventre...

Ecos e perspectivas da Assembleia Eclesial

A dor do suicídio
Enfrentamento ao tráfico humano

Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador em primeira mão.

 

 

 

 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS