Variedades Símbolos
28/05/2021 Antônio Carlos Santini Edição 3936 Símbolos da Bíblia: A PORTA (12)
F/ Turbosquid.com
"Cada pessoa humana traz uma porta em seu interior. Em nosso encontro de oração, Jesus pede que fechemos a porta e fiquemos em sua presença."
  1. PORTA

“Eu sou a porta...” (Jo 10,9)

Este é um dos símbolos bíblicos que oferece o maior número de variações semânticas. A porta da cidade é o lugar do conselho dos anciãos (cf. Rt 4,1-12), dos julgamentos, o primitivo tribunal (cf. Sl 127,5), e das importantes transações comerciais. A porta é também símbolo de poder: as portas do inferno nada poderão contra a Igreja (cf. Mt 16,18). Nos ícones orientais da ressurreição (anástasis), Cristo desce ao Xeol e arranca suas portas, derrotando o diabo.

Ao contrário dos cultos pagãos, onde o acesso aos deuses dependia de uma palavra secreta, reservada a poucos de modo esotérico, a Nova Jerusalém terá 12 portas, em sinal da plenitude e universalidade da salvação oferecida pelo Cordeiro. Por enquanto, a porta pode ser estreita e exigir disciplina e esforço para entrar (cf. Mt 7,13-14).

O simbolismo mais importante contido na imagem da porta é o mais óbvio: um limiar entre o lado de dentro - a salvação - e o lado de fora - a perdição (cf. Mt 25,10b-12; Lc 13,25.28). No Templo de Jerusalém, um pórtico de grandes dimensões separava o pátio dos gentios (os de fora) do pátio dos judeus (os de dentro).

Ao se apresentar como o Bom Pastor, em Jo 10, Jesus aponta a porta como o critério de discernimento entre o pastor (entra pela porta) e os assaltantes (passam por outro lugar). Mas ele vai além e se identifica pessoalmente com a “porta”: “Eu sou a porta das ovelhas... Quem entrar por mim, será salvo; entrará e sairá, e encontrará pastagem (v. 7-8). O Apocalipse afirma que só Jesus, o Cordeiro imolado, “abre e ninguém mais fecha”. (Ap 3,7)

Já o Salmo 1, que serve de pórtico para o saltério, falava dos dois caminhos: um caminho de salvação e outro de perdição. Estamos diante de uma escolha que define nosso destino.

Entre os católicos, a Mãe de Deus é invocada como “porta do céu” (Ianua coeli), pois por meio dela o céu se abriu e o Verbo entrou em nossa humanidade. Santo Ambrósio viu uma prefiguração de Maria na “porta” por onde somente o príncipe podia passar (Ez 44,1-3).

Cada pessoa humana traz uma porta em seu interior. Em nosso encontro de oração, Jesus pede que fechemos a porta e fiquemos em sua presença (cf. Mt 6,6). Ninguém pode forçá-la. O próprio Senhor se detém diante dela e espera que cheguemos a abri-la. São palavras dele no Apocalipse: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo”. (Ap 3,20)

Alguns textos bíblicos: Gn 28,17; Sl 84,11; Sl 118,20; Ct 5,4; Is 62,10; Mt 24,33; Ap 3,8.

Leia também:
Carta do CELAM ao Papa Francisco
Sinodalidade: um processo construído aos poucos

Alegria e tristeza

O Espirito age a partir de baixo: o Sínodo
Mensagem dos Bispos do CELAM ao povo de Deus
Carta aberta dos bispos da Amazônia

O vírus da corrupção

CELAM busca estrutura mais adequeda

Uma Igreja mais missionária e evangelizadora

CELAM - Promoção do discipulado e da consciência missionária

Novas relações no seio da Igreja

Pessoas ou tijolos: o que importa mais

Crise na Colômbia: manifesto dos teólogos

Maria e o Espírito Santo

Parturientes do Novo - I Congresso de Teologia Pastoral

Sinodalidade, diálogo, discernimento

Desafio contínuo de trabalhar a humanização

Direitos humanos dos encarcerados

Teologia Pastora: realidade, desafios e tarefas

I Congresso de Teologia Pastoral

Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador em primeira mão.
  

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS