Formação Espiritualidade
13/10/2021 Dom Paulo Mendes Peixoto Edição 3941 Serviço e doação  
F/ Facebook Claudio Xavante
"A vida precisa ser compartilhada, evitando o domínio sobre os outros, tanto no serviço como na doação. A ambição proporciona descontentamento, a quebra de unidade e espírito de competição. Vimos agora sair do ar whatzapp, Facebook e instagram, plataformas milionárias, manipuladas por um só proprietário. Valorizamos muito a tecnologia, mas repudiamos o monopólio nas mãos de poucos."

 

Para uma pessoa realizar qualquer tipo de serviço, é necessário que ela tenha disponibilidade e doação. Jesus diz que veio para servir e dar a vida para o bem de todos. Ele disse ainda que é mais vantajoso dar do que só receber. Assim unimos o serviço com a capacidade de doação, superando os sintomas de ambição, sede de poder e rivalidades no âmbito da convivência comunitária.

A vida, em todas as suas dimensões de virtudes e limites, não consegue sua plena realização sem trabalho, serviço, dedicação e compromisso. Mesmo que seja um dom de Deus, ela necessita ser construída durante o período de sua existência terrena. A história mostra práticas estranhas no lidar com a natureza, que eliminam vidas de forma totalmente irresponsável e desumana.

Diante das maldades do ser humano, que não se apoiam no exercício do serviço e da doação, as pessoas de bom senso devem agir, para defendê-la, de forma resistente, com coragem e fieis aos princípios próprios do direito à vida, apoiadas na capacidade e na generosidade construtivas. Essa foi a forma constante do agir de Jesus, com fidelidade ao Criador da vida, que a quis com dignidade.

O serviço e a doação são mediações que ajudam a defender e dignificar a vida, principalmente da humanidade desrespeitada. É ação também de preservação de toda a natureza, evitando que ela seja depredada e colocada em condição de insustentabilidade. A constatação é de que não é possível continuar fazendo um caminho com chagas profundas de destruição e de ameaça ao ser humano.

Ninguém tem o direito de se achar dono do mundo, potente e agir de forma irresponsável, prejudicando os demais com ações de derroca da ordem natural. É como a pessoa querer ocupar o primeiro lugar, como dono, sem contribuir com o serviço e a doação, tendo um comportamento totalmente intolerante, ambicioso e inconsequente, sem contribuir com a construção do bem comum.

A vida precisa ser compartilhada, evitando o domínio sobre os outros, tanto no serviço como na doação. A ambição proporciona descontentamento, a quebra de unidade e espírito de competição. Vimos agora sair do ar whatzapp, Facebook e instagram, plataformas milionárias, manipuladas por um só proprietário. Valorizamos muito a tecnologia, mas repudiamos o monopólio nas mãos de poucos.

 Leia também:
Papa João Paulo I, milagre reconhecido
CEBs e Sinodalidade

Assembleia Eclesial: um sopro do Espírito

Assembleia Eclesial, uma novidade...

Lançamento da SIREPAM

Domingo do Palavra

Risco de instrumentalização do Cristianismo
Migração e povos indígenas

Poesia: o teu olhar

A vida não é mercadoria...

Redação: "Pátria Madrasta Vil"

O risco de instrumentalização do Cristianismo

Missão, Palavra, Serviço e Cuidado com a Criação

Manual Oficial para o Sínodo Bispos

Material para a V Jornada Mundial dos pobres

Ousadia para inculturar a fé e a espiritualidade
Trazer a verdade do que acontece

Pablo Richard: Força espiritual da Palavra de Deus

Somos um em Cristo Jesus

Na força da Eucaristia: XVII Capítulo Geral Sacramentino

Migrantes e refugiados: eu não, nós

Nós decidimos como tratar refugiados


Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador em primeira mão.
 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS