Variedades Poema
30/09/2020 Anderson Dideco Edição 3928 QUE ESTAIS NOS CÉUS
F/ Fanpop
"Num rito sobrehumano, [...] o humano avesso."

 QUE ESTAIS NOS CÉUS

Anderson Dideco

 

Que estais nos céus eu creio, soberano;

restais em meio a nós, eu reconheço:

subistes pra cumprir sublime plano,

desceis pra alimentar meu recomeço.

 

Na cruz de que pendestes, não mereço

sequer no meu calvário tão insano,

suprir à Vossa dor no que padeço

e ao preço do resgate, desumano.

 

Que estais nos céus, eu sei – salário ou dano?

restais em meio a nós – prêmio ou tropeço?

em Vossa queda ou glória é que eu me ufano?

 

Vos elevais, e exalto-me em apreço;

vos humilhais, num rito sobrehumano,

e revirais, divino, o humano avesso.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS