Formação Missão
13/01/2020 Pe. José Raimundo da Costa, SDN Edição 3919 Pedimos vossa bênção e comunicamos
F/ Arquivo SDN
"Em meio aos desafios e sofrimentos, algum consolo preenche nosso coração: a doação sem limites dos irmãos que lá atuam e dos lá trabalharam, a organização catequética, o convívio e cuidado com o povo"

Exmo. Dom Jesus Tirso Blanco, SDB

  1. Bispo diocesano, Lwena – Angola/África

 Paz e bem

 Queremos, inicialmente, manifestar nosso apreço e agradecer por toda a confiança que tem nos conferido enquanto Congregação, bem como o apoio aos nossos missionários que aí trabalham. O Projeto África iniciado em 2012, com muita coragem e audácia, dois missionários, sacramentinos foram enviados para o continente africano para trabalhar na missão, no país de Angola. No dia 15 de janeiro, assumiram a Paróquia de Santo Antônio do Kavungo, Nana Candungo, no Município de Cazombo, Diocese de Lwena. Desde então o trabalho tem sido desenvolvido nestas terras mediante todo desafio  e esforço: dificuldades pela localização no país (“periferia da periferia” cf. vossa palavra dita em um discurso), para oferecer a devida assistência, sobretudo no momento da doença (distantes de recursos médicos e hospitalares), reposição de irmãos outros na missão.

Tudo isto tem pesado na balança quando avaliamos a caminhada da Missão Ad gentes no Continente africano. Em meio aos desafios e sofrimentos, algum consolo preenche nosso coração: a doação sem limites dos irmãos que lá atuam e dos lá trabalharam, a organização catequética, o convívio e cuidado com o povo, aprendizagem da língua (dialetos), construção da igreja e da casa paroquial, entre outros. Entendemos que foi um momento de graça e de muitas bênçãos para nossa Congregação esta “investida” em terras africanas. No entanto, padecemos da escassez das vocações. Não é possível dar continuidade a um projeto que, no mínimo exige de nossa condição, manter pelo menos três casas em solo angolano para dar o apoio e a solidariedade possível e necessária. Chegamos à conclusão de que, por ora, não é mais possível manter esta missão. Comunicamos, de modo oficial, que vamos encerrar nossas atividades nesta diocese.

O Contrato com a vossa diocese encontra-se vencido. Não mais o renovaremos. Esperamos queira Deus, em um futuro, possamos reabrir a missão. Pe. Odésio retornou a Cavungo. Em setembro deverá vir embora em definitivo. Resta-nos o lamento de não termos a condição necessária para tal missão e a gratidão a Deus, ao Senhor Dom Tirso, à Conferência Episcopal de Angola e ao querido e amado povo do Cavungo que acolheu, de coração, com muita abertura, solidariedade, alegria e amor nossos missionários. Esteja certo sr. Bispo Dom Tirso, que manteremos nossa comunhão na fé, na amizade, no amor, na solidariedade na oração com o senhor, com a Diocese de Lwena e com o povo de Cavungo. Nossa gratidão às religiosas e religiosos brasileiros e estrangeiros, que foram profundamente fraternos juntos aos nossos. Sem a solidariedade e generosidade deles nos sucumbiríamos. Nossa gratidão ao governo que nos permitiu atuar neste país.   

Sem mais reafirmamos a amizade, o afeto e o respeito por Vossa Excia. Pedimos vossa bênção e comunicamos que o senhor será sempre objeto de nossas orações.

No Cristo pela Virgem nosso grande abraço  

 

Pe. José Raimundo da Costa, sdn

Superior Geral

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS