Formação Espiritualidade
10/09/2019 Frei Patrício Sciadini, ocd. Edição 3915 O que dá medo não é a Palavra do profeta ESPIRITUALIDADE [Assumir a missão...
F/Pixabay
"E Moisés se viu obrigado a assumir a missão de profeta, de dizer só o que Deus mandava que ele dissesse."

O que dá medo não é a Palavra do profeta

Frei Patrício Sciadini, ocd.

Sempre que falo dos profetas me vem à cabeça um exemplo “patriciano”meio bobo, mas que dá a idéia de quem é o profeta. O profeta é como o maribondo, mexeu pica e não mexeu pica.

 

A vida é que dá medo

O que dá medo não são as palavras do profeta. Qualquer um pode dizê-las e tudo termina por aí. Mas é a vida dos profetas que mexe com a gente e nos perturba no mais íntimo de nós mesmos. Até Herodes gostava de ouvir falar a João Batista, mas ficava perturbado pela sua vida, pela sua maneira de se comportar. As palavras de Jesus podem ser ditas por muitas pessoas. Mas quando nós tentamos compreender Jesus, vemos que não há divórcio entre a palavra e a vida. Há uma coerência impressionante. É esta coerência que nos dá medo.

Hoje em dia vivemos num mundo em que surgem por aí muitos que se dizem “profetas”, fazem promessas bonitas, que seduzem e nos fazem esperar um mundo melhor, numa sociedade onde o amor reine soberano. Mas na verdade, quando olhamos a vida deles mais de perto, não com as lentes para ampliar, vemos que não é assim. O que dizem e o que fazem não nos convence.

 

Profeta é o escolhido

Profeta antes de tudo nunca escolhe ser profeta, é escolhido e tenta recusar esta missão porque sabe que lhe vai comportar muitas dores de cabeça e muito sofrimento. Mas não pode fazer menos e dizer não. Deus chama os seus profetas e os “empurra” docemente deserto afora, e os obriga docemente a dizer sim ao chamado. Deus insiste e é exigente.

A nós não serve dar desculpa esfarrapada porque ele não aceita desculpa. Moisés tentou se livrar de ser profeta, encontrou até uma boa desculpa: “sou gago, tenho a língua pesada. O meu irmão é bom falador, manda ele ou quem quiser, mas eu não posso”. E Deus lhe dirá: o teu irmão bom falador será a tua boca e você será a sua palavra. Vai! E Moisés se viu obrigado a assumir a missão de ser profeta, de dizer só o que Deus manda que ele dissesse.

O profeta Jeremias também encontrou uma boa desculpa: “sou uma criança, não sei falar!” E Deus resolveu logo o problema: não diga sou uma criança. Deverá dizer aquilo que eu te mando dizer! Mesmo a Virgem Maria tentou dar uma desculpa, mas não teve jeito, Deus lhe respondeu com clareza.

Os profetas sentem-se pobres, a força de Deus os invade e aí vão eles corajosamente. Aconteceu isto com todos, com o mesmo Jesus, que diz: “ deste um corpo e ao entrar no mundo eu disse: eis-me aqui para fazer a tua vontade!” As palavras dos profetas podem ser até duras, exigentes, mas o que mais questiona é o silêncio do profeta e a sua vida. É o que hoje devemos redescobrir no nosso dia a dia.

 

Os Santos

Os santos não foram diferentes. João da Cruz perturbava mais quando estava no cárcere de Toledo, que quando estava livre. A sua maneira de agir, de ser, a sua penitência e oração eram um espinho constante na alma dos que não queriam viver com seriedade a vida religiosa. O que mais as vezes me mete em crise não são as palavras do Papa Francisco, mas sim a sua maneira de agir, simples, pobre, afável, humilde, que me faz ver que eu não sou assim. Quando nós não somos capazes de viver o evangelho, muitas vezes o que fazemos? Criticamos os que o vivem... São armas dos que não são profetas e não querem se converter. Quem deseja converter-se e vê que não é profeta, sofre por não ser capaz de viver a palavra de Deus. Não são as palavras dos profetas que perturbam e fazem mal, mas a vida e a coerência dos profetas que nos fazem mal... Um mal bom, que se o sabemos aceitar, nos dará uma vida mais segundo o evangelho de Jesus.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS