Formação Família
16/07/2019 Cláudio Mª do Rosário Edição 3914 Missionários da vida e da família Pastoral Familiar
F/ Past. Familiar
"A defesa da vida, desde a concepção até a morte natural, a necessidade de pensar, de educar, de pegar uma criança e elevá-la para cima de si, temas tão sérios, mas tratados com leveza, com serenidade, "

 

Cláudio Rodrigues e Maria do Rosário Silva*

 

A experiência vivenciada na casa da Mãe Aparecida, no último final de semana de maio, nos dias 25 e 26, deixou no coração de todos nós, missionários da vida e da família, reunidos num feliz e alegre ajuntamento, marcas indeléveis, só compreensíveis pela fé. Que maravilha a oportunidade de nos reunirmos, com representação de todos os Regionais do Brasil, encontros, reencontros, abraços, afeto, carinho, fraternidade, comunhão! Temos consciência dos grandes desafios a serem superados e o quanto nossa missão é exigente, mas o nosso olhar e compromisso para com as famílias fortalecem nosso ânimo e disposição a seguir em frente com coragem e ousadia.

 

Peregrinação e Simpósio da Pastoral Familiar

A 11ª peregrinação e o 9º Simpósio Nacional da Pastoral Familiar, realizados no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida e no Santuário Nacional de Aparecida, foram bem assim: recheados de reflexões e propostas concretas de fortalecimento de nossa ação missionária; oportunidade ímpar de reafirmação do valor primordial da vida e da família, projeto do grande amor de Deus para cada um de nós, sendo a família o caminho para transformar a sociedade e a Igreja.  

Cada palavra ali proferida nos mostrando e confirmando a suma importância de apostarmos cada vez mais na família e promovermos a Pastoral Familiar, em nossas Dioceses, Paróquias e Comunidades, foi muito, muito gratificante! Importante ressaltar que tanto a Encíclica “Laudato Si”, sobre o cuidado da casa comum, quanto a Exortação Apostólica “Amoris Laetitia”, sobre o amor na família, ambas do Papa Francisco, nos motivam a uma maior responsabilidade em favor da vida humana, da vida social, da vida cristã e da vida eterna. Perguntas como: “que tipo de mundo nós queremos deixar para nossos filhos?” e “que filhos queremos deixar para esse mundo?”, permearam todas as contribuições dos convidados especiais que nos enriqueceram com suas palestras e testemunhos.

 

Preservar e defender sempre a vida

Voltamos sim revigorados, mais fervorosos, pensando na importância da compaixão, da sensibilidade que se deve ter no cuidado com o outro, com a pessoa do outro, não querendo receber nada em troca; no acompanhamento e no carinho, pois a vida vale mais que tudo; para a pessoa enquanto houver um sopro há o que ser feito, por isso o nosso pastoreio deve ser como o manto protetor que abraça, que cuida, iniciando em nossa pequena igreja doméstica: a família (cf DAp, 204). Precisamos acrescentar vida aos dias das pessoas, valorizando-as aqui e agora. O bacana foi ver e sentir o encantamento ali presente, o sentimento de pertença, a paixão e ardor de cada família.

A defesa da vida, desde a concepção até a morte natural, a necessidade de pensar, de educar, de pegar uma criança e elevá-la para cima de si, temas tão sérios, mas tratados com leveza, com serenidade, oportunizaram-nos uma verdadeira festa, uma imensa alegria, fortalecidos em nossa fé, de mãos entrelaçadas, calorosas, fervoras, rezamos juntos, pois nós cristãos não podemos ficar como expectadores das tragédias do mundo. Jesus nos impulsiona à oração e à ação.

Ouvir que quando nós cuidamos das coisas de Deus, Deus cuida de nossas famílias também fez nosso coração pulsar mais forte!

Não podemos deixar de registrar aqui nosso carinho e agradecimento à toda Comissão Nacional que se doou para que tudo acontecesse segundo a vontade do Pai, na casa da Mãe, confiantes na terna e sábia orientação: “Fazei tudo o que Ele vos disser!” (cf Jo 2,5) e foi tudo uma bênção.

A reflexão feita por Dom Ricardo Hoepers, Presidente da Comissão Episcopal Pastoral Vida e Família, da CNBB, na Missa de encerramento de nossa peregrinação fechou com chave de ouro todo evento, deixou-nos encantados e o sentimento que nos move é o de gratidão, que com certeza, é o que também preenche os corações de todos os que ali estiveram.

Cada família, nesse imenso Brasil, com seu jeitinho de ser, seus desafios, conquistas e imperfeições - perfeita, sabemos, só a de Nazaré - modelo a ser divulgado e seguido, razão de nosso clamor: Jesus, Maria e José, nossa família vossa é!

 

Na família se aprende a amar

É na família que se aprende a amar e o amor não deixa a gente perder os vínculos, a ternura; quem não ama se afasta, se distancia, se perde. Quando a família se enfraquece, a sociedade e o mundo todo enfraquecem; nós precisamos começar lá, em nossa pedra preciosa, nossa casa - pequena Igreja doméstica!

Saímos desse belo encontro e reencontro com o coração voltado para os nossos, deixemos então nos interpelar:

A nossa família, como vai?

O cuidado se faz presente em nosso meio?

Será difícil fazer nossa parte?

Não desanimemos, Deus precisa estar acima, ser a luz que ilumina nossa casa, nossas relações.

Não permitamos que a vida fique desprezada, para que outros valores, os que não defendemos, não entrem. Somos defensores da vida e da família!

É importante compreender que um país que permite o aborto é um país em decadência moral, da mesma forma o descarte das pessoas idosas, deficientes - a prática da eutanásia. Muito triste! Deus não quis assim! A pessoa humana deve ser acolhida, valorizada e abraçada.

Se existe um lugar aonde não vão nos abandonar é na nossa família, não nos afastemos dela, espaço sagrado, força da Igreja e da sociedade. Para tanto criemos oportunidades de diálogo, gratidão, compaixão, escuta; quem não ouve não consegue dialogar, o amor gera tudo isso, tudo de bom, tudo de bem!

 

Para onde caminha a família?

Precisamos nos perguntar: “para onde queremos levar nossas famílias?”.

A Pastoral Familiar nos ajuda nas respostas, em seus três setores: Pré-Matrimonial, Pós Matrimonial e Casos Especiais; o encantamento se dá quando entendemos que todos precisam ser acolhidos, com cuidado, com zelo, com carinho e amor!

Voltamos para nossas comunidades de fé com esse propósito, fazer com que a Pastoral Familiar seja cada vez mais efetiva e afetiva. Coragem, ânimo! O Espírito Santo motiva-nos a evangelizar, conduz-nos, dá-nos o sabor pelas coisas de Deus, dilata nossos corações e nos entusiasma a caminhada, pois caminhar é preciso...

Já temos um compromisso agendado, será uma grande alegria a sua companhia novamente em maio de 2020, a você que não esteve conosco, fica a dica!

 

* Assessoria Pedagógica Nacional – INAPAF - Instituto Nacional da Família e da Pastoral Familiar.

 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS