Destaques Atualidade
04/07/2021 Antônio Carlos Santini   Edição 3938 Levanta que tem sol!
F/ solar wind
"São tempos nublados. O nevoeiro da pandemia está cobrindo o sol. Dá vontade de permanecer deitado. Mas o sol existe. Ainda que os novelos de névoa o ocultem por um tempo, ele vai aquecendo as camadas da atmosfera..."

 

Maio em Minduri tem manhãs de neblina. A cerração esconde o sol até as dez horas. Ou mais. Bom é ficar enrolado na colcha de retalhos, fingindo que não amanheceu. O galo já cantou, o bem-te-vi já gritou, mas a criança finge que ainda é ontem...

Até que a porta do quarto se abre a e voz de Dona Esther anuncia:

- Levanta que tem sol!

Aberta a janela, a luz invade o espaço. É dar um pulo, calçar o chinelo de cordas, esfregar os olhos na água fria e beber o café com leite na caneca de ágate, onde se mergulha um bico de pão.

Lá fora, o sol convida a recomeçar. Aulas, só à tarde. Tenho tempo para as bolinhas de gude, verificar a arapuca no fundo do quintal, um joguinho de “finco” na terra seca ou, na falta de parceiros, reler umas páginas de “Histórias que mamãe contava”, de João Kopke.

*   *   *

São tempos nublados. O nevoeiro da pandemia está cobrindo o sol. Dá vontade de permanecer deitado. Mas o sol existe. Ainda que os novelos de névoa o ocultem por um tempo, ele vai aquecendo as camadas da atmosfera e logo veremos seus raios no fundo azul-turquesa.

Logo a porta se abrirá e uma voz anunciará a boa nova: - “Levanta que tem sol!” É a voz da esperança, que trabalhou até de madrugada em sua máquina de costura, levantou cedo e coou o café.

É que a esperança não fica só esperando... A verdadeira esperança é ativa, atuante, e até economiza o sono para preparar o amanhecer. A esperança não tem tempo para resmungar, reclamar, injetar tinta preta nas redes sociais. A esperança “sabe” da manhã, encara a noite como um Advento: a certeza do Natal. Deve ser por isso que ela está sempre sorrindo, saboreando antecipadamente o dia que virá...

*   *   *

O cético franze a testa. O amargo faz beicinho. O homem sério xinga o governo. Eles pensam que as bolinhas de gude não hão de voltar. Eles demitiram a infância sem aviso prévio. Seu estojo de lápis de cor não tem mais o amarelo e o azul. Suas roseiras só dão espinhos...

Mas nós vamos resistir. Vamos afofar a terra para a próxima sementeira. Vamos apostar na esperança. Afinal, como diz o Apóstolo, “a esperança não decepciona”.

Leia também:
O processo de Escuta deve ser mútuo e transformador
"O diaconato de mulheres só precisa ser reconhecido..."

Para que serve um velho?

Precisamos de leigos como sujeitos eclesiais
Sinodalidade e espiritualidade

Catequese Papa Francisco: Introdução aos Gálatas

Sínodo vai exigir repensar as estruturas da Igreja
A irresponsabilidade das autoridades

Sínodo 2023: Equipe de animação do Brasil

500 mil vidas presentes em nossas vida
s
Uma vida doada aos esquecidos do mundo

Nota de solidariedade a Dom Vicente Ferreira

Toda vida importa: CNBB prepara mobilização

Oração para a Assembleia Eclesial

Ação na Pandemia

A Igreja no mundo urbano

Uma Igreja samaritana que chega aos recantos

Uma Igreja Sinodal

Procuram-se pessoas loucas...

REPAM e CEAMA, dois rios para a sinodalidade na Igreja

Dom Mário denuncia o garimpo ilegal

Por uma Igreja Sinodal


Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador em primeira mão. 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS