Destaques Igreja Hoje
08/01/2020 Pe. Matheus R. Garbazza, SDN Edição 3919 Identidade: Sacerdote! 50 anos de ordenação sacerdotal do Pe. Antônio Otaviano da Costa Franco, SDN
"Sou feliz por ser padre, e é sendo padre que me sinto feliz"

 

Em 2019 a Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora rende uma ação de graças ao Senhor pelos 50 anos de ordenação sacerdotal do Pe. Antônio Otaviano da Costa Franco, SDN – juntamente com todos os seus familiares, amigos e os paroquianos dos lugares por onde passou.

Neste homem de voz forte e convicções profundas, vemos o retrato de um padre zeloso de sua identidade, oferecendo a Graça de Deus às pessoas e, ao mesmo tempo, conduzindo cada ser humano a um profundo relacionamento com seu Criador. Mais do que festejar uma única pessoa, estamos agradecendo à Trindade Santa o grande dom confiado à humanidade, que é a continuação da obra redentora do Filho por meio do ministério ordenado.

 

O homenageado

Pe. Antônio Otaviano é natural de Bom Despacho. Seus pais, já na glória celeste, foram Heitor Franco Filho e Maria da Costa Franco. Seus irmãos formam uma numerosa família, tradicional na cidade. Ainda jovenzinho iniciou sua formação para ser missionário sacramentino. Foi ordenado presbítero por Dom Belchior no dia 20 de dezembro de 1969, em seu torrão natal.

Os inícios de seu ministério presbiteral tiveram como palco a inesquecível Paróquia do Bom Jesus de Manhumirim. Ele mesmo diz, vez ou outra, que ali aprendeu a ser padre. Impossível não mencionar o carinho pelos jovens, sobretudo os integrantes da Juventude Unida de Manhumirim – JUDMAN. Tempo intenso e que deixou marcas profundas.

Da Paróquia de São Lourenço, em Manhuaçu, guarda também uma boa saudade. Pôde desenvolver muitos de seus dons, fazer o bem às pessoas, tecer amizades. A tradicional subida ao Cruzeiro da Bem-Posta, para lá celebrar a missa, sempre me pareceu símbolo de seu desejo de levar as almas para o céu.

Para sua Congregação dedicou boas forças. Foi formador, conselheiro geral e Superior Geral. Entusiasta da vocação, da Igreja e do Servo de Deus Pe. Júlio Maria, não cessou de buscar cultivar no coração dos jovens o desejo de seguir a Cristo mais de perto.

Por último, desde 2006, continua a missão em sua terra natal, na Paróquia Nossa Senhora do Bom Despacho, onde é sempre bem acolhido pelo carinho fraterno de seus concidadãos. Sua marca é o entusiasmo com as coisas de Deus e da Igreja.

 

Marcas de um sacerdócio feliz

Aliás, se uma palavra pode definir nosso sacerdote jubilando é o entusiasmo. O rádio, uma de suas grandes paixões, o demonstra: sempre com uma palavra interessante e atual, comentando os assuntos do momento à luz da Palavra de Deus. Ali se sobressai uma característica: as comparações jocosas, muitas vezes ousadas, que despertam ao mesmo tempo o riso e a inquietação a respeito do tema em estudo.

O zelo pelas coisas sagradas também lhe é peculiar: gosta da ordem, do ensaio, do estudo. Mesmo que às vezes, na liturgia, ele mesmo saia um pouco do roteiro. Mas seus gestos e suas palavras demonstram verdadeira fé naquilo que celebra. A palavra, aliás, não lhe falta. A tribuna é seu ambiente natural. Gosta sempre de dizer que ter o microfone na mão é uma grande oportunidade para evangelizar.

“Sou feliz por ser padre, e é sendo padre que me sinto feliz”, disse ele às vésperas do Jubileu de Ouro. A identidade sacerdotal que carrega fica expressa no lema de sua ordenação, ao qual permanece fiel: “Não é justo que abandonemos a Palavra de Deus... Nós atenderemos sem cessar à oração ao ministério da Palavra” (At 6,2.5).

Parabéns, Pe. Antônio Otaviano, pelos 50 anos de sacerdócio! É uma honra ter sido seu coroinha, como o é ser seu irmão de Congregação e o será sê-lo no ministério ordenado. Obrigado pelo seu testemunho de um sacerdócio feliz, de venturas sem par!

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS