Variedades Extras
29/03/2022 João Victor Moura de Oliveira Edição 3945 Fraternidade e saber socrático, a propósito da CF 2022
F/ Pixabay
"O saber socrático e a prática de Jesus colocam a pessoa humana no centro da atenção e é isso que nos faz ver a Campanha da Fraternidade 2022, que traz em seu bojo as principais indicações do Pacto Educativo Global, proposto pelo Papa Francisco."

 

A Campanha da Fraternidade (CF) é realizada pela Igreja do Brasil no tempo da Quaresma. É uma proposta da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que convida os cristãos a uma conversão eclesial e social diante de algum tema público ou realidade desafiante em nosso país. A partir da reflexão, somos convocados a realizar gestos concretos que ajudem a sanar tais defasagens apontadas pelo tema proposto.

Por uma educação libertadora

Neste ano de 2022, a Campanha da Fraternidade debruçou-se sobre tema: “Fraternidade e Educação” e teve como lema: “Fala com sabedoria e ensina com amor” (cf. Pr. 31,26). É a terceira vez que a CNBB trata do tema “Educação”. Isso nos mostra que a situação da educação permanece como um desafio em nosso país e precisa melhorar. A palavra “educação” vem do latim educere, que significa trazer à luz, à ideia, tirar de dentro.

Do ponto de vista bíblico, Jesus é o principal exemplo a ser seguido. Ele é nosso grande mestre e educador, o que se evidencia no evangelho de João, no relato da mulher adúltera (Jo 8: 1-11). Jesus a coloca no centro, acolhe e corrige. Trata-se de um modo de agir, de uma educação que humaniza, que liberta, que coloca a pessoa no centro do processo educativo. Educação em que família e escola andam juntas. Uma educação humanizadora. É isso que os educandos e educadores querem. Mas suas vozes são silenciadas e seu ato de ensinar, minimizado, desvalorizado ou até ignorado.

A CF quer uma educação aberta para a realidade, que não seja doutrinária, mas libertadora, capaz de fazer da pessoa verdadeiro sujeito. Quer apoiar os educadores em sua missão e melhoria para as suas condições de trabalho e de melhor remuneração. Sem isso, torna-se difícil alcançar uma educação de qualidade, quer presencial ou virtual, que forme indivíduos conscientes de sua missão na família e do seu ser cidadão na sociedade.

Educadores como “parteiros” do conhecimento

Tendo presente Jesus modelo de mestre e educador, podemos olhar para um personagem que o precedeu na história da filosofia e que já propunha uma educação diferenciada. Refiro-me a Sócrates, mas principalmente à sua metodologia educativa.

Sócrates (470 a.C-399 a.C) foi um filósofo ateniense do período clássico da Grécia Antiga. Não escreveu sequer um livro, é conhecido apenas através dos escritos dos seus discípulos, entre os quais o mais célebre é Platão. Sócrates é lembrado como o filósofo da alma, por tentar fazer brotar da alma o verdadeiro conhecimento. Apontava a necessidade de se afastar da doxa (conhecimento através de opiniões) para se aproximar da episteme (o verdadeiro conhecimento). Sócrates era também reconhecido por suas perguntas perenes, ou seja, que não se esgotavam, mesmo depois de respondidas. Essas faziam com que brotasse do indivíduo o verdadeiro conhecimento.

Ao se aproximar do indivíduo e começar a interrogá-lo com questões como: “o que é a verdade?” ou “o que é a justiça?”, Sócrates trazia a pessoa humana para o centro da atenção. E ainda que resposta fosse a negativa: “eu não sei”, o ato de não saber revelava também a sua capacidade de vir a saber, de aprender. Sócrates fazia com que o indivíduo reconhecesse que dentro dele, já existia um saber, um princípio de conhecimento e, com a ajuda do educador esse saber vinha à luz, um movimento de dentro para fora. O educador seria um “parteiro das ideias”, “parteiros do conhecimento” que já encontravam dentro da própria pessoa.

O saber socrático e a prática de Jesus colocam a pessoa humana no centro da atenção e é isso que nos faz ver a Campanha da Fraternidade 2022, que traz em seu bojo as principais indicações do Pacto Educativo Global, proposto pelo Papa Francisco.

João Victor Moura de Oliveira - Postulante Sacramentino - Casa de Formação - Maracanaú - CE

Leia também:
Abolir a guerra antes que ela apague a humanidade da história
A guerra jamais justa

Ataques implacáveis contra o Papa Francisco

O Papa ao Fórum da àgua

Encontro Eclesial Virtual - Assembleia Latinoamericana e caribenha

Serviço Jesuíta a migrantes e refugiados da Ucrânia

Primeiro o amor e a unidade, depois a estratégia

Não há Eucaristia sem povo

Equilíbrio paz e guerra

Quaresma e guerra
Igreja denuncia graves consequências da "PL do Veneno"

A semente da sinodalidade plantada na amazônia

Dom Mário Antônio: vou para Cuiabá com o coração livre

Povo Ticuna: a bíblia em sua língua materna

Encontro do Papa Francisco com jovens universitários - Construindo pontes Norte-Sul

CF 2022 - Escutar: antes de ensinar, aprender
CF 2022 - Discernir: Jesus mestre e educador
CF 2022 - Agir: iniciar, promover processos
Guerra, ameaça a humanidade, Papa convoca jejum
Papa Francisco e universitários: oportunidade se ser a voz de muitos

Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS