Formação Família
14/01/2020 Pe. Sebastião Sant’Ana Edição 3919 Famílias cristãs desafiadas a recuperar o sentido do Natal
F/ i.pinimg.com
"A fé e o amor ajudam a construir um mundo mais justo, mais solidário, mais fraterno, mais humano. Fé e amor fundamentam um mundo de paz e de esperança. "

 

 

Dezembro vem chegando cheio de propostas pastorais ligadas à família. Com o início do Advento (01/12), entramos no novo Ano Litúrgico. Vigilantes, preparamo-nos para o encontro com Jesus Cristo que veio (em Belém), que vem a nós hoje de muitas maneiras – sobretudo, na Palavra, na Eucaristia e nos irmãos pobres ou sofredores – e que virá glorioso no final dos tempos. Advento é vinda: Jesus veio, vem e virá.

O grande foco de dezembro é o NATAL, a festa familiar por excelência. Além da tradicional Novena do Natal em Família, temos o Dia Nacional da Família (8/12) e a festa de N. Sra. de Guadalupe, padroeira das famílias (12/12). No Domingo após o Natal (29/12), vamos coroar o ano civil com a festa litúrgica da Sagrada Família.

Comprometidos com a bandeira da família, não podemos perder esta oportunidade privilegiada de testemunhar que JESUS, o Filho de Deus, é a razão de nossa alegria contagiante.

 

A família desafiada a recuperar o sentido do Natal

Um dos desafios colocados para nós cristãos, hoje, é o de recuperar o sentido do Natal. O lugar central da festa deve ser de Jesus Cristo, temos certeza. Mas há no mundo todo um acelerado e preocupante processo de descristianização e de indiferença religiosa. “Em nossa sociedade sopra cada vez com mais violência o vento da descristianização, da indiferença religiosa, da secularização e da relativização dos valores”– alertou Bento XVI.

Nesse contexto, percebemos que o Natal vai deixando de ser festa cristã, de Jesus, para se tornar, cada dia mais, uma festa do novo deus, o “consumo”.

Para grande parcela de batizados – aqui não estamos falando dos ateus, mas de cristãos –, o Natal virou sinônimo de comprar e gastar, de comer e beber, de presentear o que não se pode pagar e de receber aquilo de que não se precisa. Cresce, cada dia mais, o exército dos consumidores, a grande massa de manobra à disposição do "deus mercado" ou "deus consumo".

 

Sem a fé e o amor não há paz e esperança

Há uma cruzada de cientistas ateus para reduzir a influência da religião no mundo moderno. Os novos ateus querem retirar, junto com Deus, a espiritualidade da vida das pessoas, substituindo-a pelo progresso e pela contemplação de conquistas científicas e tecnológicas.

No entanto, o ser humano não pode contentar-se só com os bens materiais. No fundo do seu coração, ele está orientado para Deus e para o amor. Por isso, a descristianização não é um progresso, a religião não é uma coisa ultrapassada e a diminuição da prática religiosa não é uma tendência definitiva.

São muitas as pessoas que estão procurando reencontrar, na fé, o sentido para suas vidas. Hoje, são inúmeras as personalidades de grande influência no mundo moderno que manifestam publicamente sua fé em Deus. Entre elas, há cientistas, artistas, empresários, líderes políticos e sindicais etc.

A fé e o amor ajudam a construir um mundo mais justo, mais solidário, mais fraterno, mais humano. Fé e amor fundamentam um mundo de paz e de esperança.

 

Jesus veio para que tivéssemos vida plena

Na perspectiva da fé, o Natal nos permite celebrar e viver o mistério de um Deus que nos ama gratuita e apaixonadamente. Sim, o Natal celebra a história sagrada de um “Deus que amou de tal maneira o mundo que lhe entregou o seu Filho único”. (Jo 3,16.)

Santo Agostinho afirma que “quem não for capaz de se escandalizar com a encarnação do Filho de Deus não é capaz de ter fé”.

A solidariedade de Jesus conosco foi tamanha, que chegou ao extremo de fazer-se um de nós, assumindo a nossa condição, descendo ao mais baixo grau da miséria humana. Assumiu-nos para elevar-nos à condição de filhos de Deus, de participantes da vida divina, de herdeiros dos bens eternos.

Diante de tudo isso, como vai ser o nosso Natal? Um Natal para celebrar essa paixão de Deus por nós, suas criaturas, ou um Natal apenas bonito, com mesa farta e reunião de família, mas vazio do seu conteúdo de fé?

 

"Veio para os que eram seus e os seus não o receberam"

O Evangelho de João, no Prólogo, acena para o drama do primeiro Natal: “Ele veio para os que eram seus, mas os seus não o receberam” (Jo 1,11.) Esse drama aparece também em Lucas, quando narra que Maria “o enfaixou e o colocou na manjedoura, pois não havia lugar para eles na estalagem”. (Lc 2,7.)

Muitos foram os que rejeitaram Jesus durante sua vida terrestre, desde aqueles que fecharam a porta para Maria que estava prestes a dar-lhe à luz, até os que simplesmente o ignoraram ou deixaram que ele caminhasse sozinho para a cruz.

No entanto, o evangelista João, após referir-se ao drama do primeiro Natal – “Ele veio para os que eram seus e os seus não receberam” –  aponta para o grande dom: “Mas, a todos os que o receberam, deu-lhes a capacidade de se tornarem filhos de Deus”. (Jo 1,12.)

Para não acontecer-nos o drama do primeiro Natal, vamos convidar nossas famílias, amigos e vizinhos para uma calorosa acolhida a Jesus que vem ao nosso encontro.

 

Natal com Jesus Cristo ou com o Papai Noel?

O Natal de sua família vai ser do Menino Jesus ou do Papai Noel, sacerdote do “deus consumo”? Os enfeites (casa, lojas, escritórios) serão a estrela, o presépio com Jesus, Maria e José ou será o Papai Noel com suas renas e pinheiros cobertos de neve, em pleno verão brasileiro?

Qual deles morreu para salvar o povo e qual explora o povo? Quem existiu e quem é apenas lenda? Na sua família, as crianças ouvirão falar mais de Jesus, o grande presente de Deus, ou do Papai Noel que está em foco na mídia? Quem pode trazer, para você e seus familiares, a alegria, a paz e a certeza de serem pessoas muito amadas por Deus?

Afinal, quem será presença maior no Natal de sua família: Jesus, que nasceu no meio dos pobres, ou o velhinho de barbas brancas, grande sacerdote do "deus consumo"?

Que tal motivar sua família para a Novena e a Missa de Natal?

Feliz e santo Natal para você e sua família!

 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS