Formação Catequese
20/12/2019 Pe. José Herval, SDN Edição 3917 Evangelização, Catequese e Visitação Formação
F/ Periodistadigital
"Somos discípulos que deveremos um dia ser apóstolos, missionários ardorosos, catequistas empolgados com a Pessoa de Jesus e sua Missão."

Evangelização

Antes de falar de catequese, é preciso ter claro que a missão da Igreja é evangelizar.

O que caracteriza a evangelização é o anúncio da Palavra de Deus acompanhado do bom exemplo de quem está anunciando. A ordem de Jesus é anunciar o evangelho, é fazer discípulos... No evangelho vemos Jesus chamando seus primeiros discípulos, até mesmo através de um simples olhar. Depois, aparecia um chamando o outro para seguir a Jesus.

Discípulo de Jesus é quem acompanha a Pessoa de Jesus para valer. É o que vamos ver no texto do evangelho de São João 1,35-42.

No texto vemos o que aconteceu lá: dois homens um tanto curiosos e encantados com a Pessoa de Jesus. Eles foram perguntar onde ele morava: Jesus respondeu: “Venham ver!” Eles foram, viram e gostaram de ficar perto do Mestre e tornar-se discípulo.

No dia seguinte, um dos dois foi atrás do seu irmão, o Simão, que também acabou sendo chamado por Jesus. Por aí se vê que "só quem é discípulo é capaz de fazer discípulo”. André ajudou Pedro a se encontrar com Jesus.

Vale a pena meditar sobre a Pessoa de Jesus que chamou Pedro e os demais companheiros para serem discípulos, e para depois se tornarem apóstolos. O discípulo fica perto do Mestre até aprender a ser discípulo. O apóstolo sai em missão para fazer discípulos para Jesus.

A Igreja é a comunidade dos discípulos de Jesus. Somos discípulos que deveremos um dia ser apóstolos, missionários ardorosos, catequistas empolgados com a Pessoa de Jesus e sua Missão.

E nós aqui? Precisamos ser catequistas realmente evangelizados e empolgados com a Pessoa de Jesus e entrosados com os irmãos na comunidade. Portanto, o primeiro passo é a evangelização.

 

Catequese

Já a catequese, em princípio, vem depois do anúncio. A catequese é um itinerário de formação na fé, na esperança e na caridade, que forma a mente e o coração, levando a pessoa a seguir Jesus Cristo como caminho, verdade e vida.

A comunidade cristã precisa oferecer dois caminhos para a educação da fé dos que já foram evangelizados, a saber:

  1. Catequese como iniciação à fé e à vida comunitária: essa fase leva a pessoa à adesão a Jesus Cristo e à conversão.
  2. Catequese como aprofundamento: aqueles que aderiram a Pessoa de Jesus e à vida de Igreja precisam de mais fortes esclarecimentos que os ajudem no engajamento na comunidade.

Mais: como estamos com muitos e muitos irmãos batizados que não receberam nenhuma evangelização, a catequese tem de cuidar da evangelização também. É por isso que dizemos hoje: catequese evangelizadora. Então vem a pergunta: Como fazer isso?

Não temos resposta mágica, nem receita pronta. Temos de abrir caminho, e caminhar juntos: catequistas, pais e catequizandos. O caminho se faz caminhando.

Todos nós temos de ser reevangelizados. Nós catequistas, e as famílias dos catequizandos. Sim, temos de aprofundar nossa fé. Temos de refazer a caminhada da Iniciação Cristã.

Para nossa catequese ser evangelizadora, ela precisa de algo bem claro e concreto para oferecer aos catequizandos e às suas famílias a iniciação à fé, e o aprofundamento na caminhada da fé. Não podemos viver de sonhos irrealizáveis achando que vamos evangelizar a partir das crianças. Já estamos cansados de fazer isso, e com muito pouco resultado.

Vamos a algo bem concreto, e para valer mesmo. Então, vamos!...Vamos às famílias dos catequizandos. Vamos aos jovens dentro de suas famílias. Vamos aos adultos que já estão caminhando com os próprios pés. Vamos!

 

O sentido bíblico da visita

O catequista não pode desconhecer o valor bíblico e teológico da visita. No documento da CNBB nº 71, lemos: "O 'encontro' é o primeiro Dom ou carisma que o Espírito concede às pessoas e é ele, o Espírito Santo, o protagonista da missão, aquele que chega primeiro. O cristão, portanto, deve dar grande valor ao encontro com as pessoas...”

"O cristão que tomou consciência de sua missão de evangelizador, deverá não apenas acolher bem quem se aproxima, mas ir ao encontro dos outros e retomar a prática evangélica das visitas às casas (Mt 10,11-14; Mc 6,10-11; Lc 10,5-7.38-42)".

Os nossos bispos ainda nos lembram que a visita tem um profundo sentido bíblico e teológico. Quer dizer: "a pessoa enviada por Deus representa o próprio Deus que visita seu povo" (CNBB, Doc. 71, n. 99). - Vamos à Bíblia:

  • Deus visitou Sara, já bem idosa, e que tinha uma missão especial de gerar um filho também muito especial (Gn 21,1).
  • Deus visitou Zacarias e sua esposa Isabel, também idosa. Izabel, embora estéril, tinha a missão de dar ao mundo um homem muito especial, o João Batista (Luc 1,8-14).
  • Deus, através do seu Anjo Gabriel, visitou a Virgem de Nazaré, destinada a uma missão única neste mundo, a saber, a missão de ser a Mãe do Salvador (Lc 1,26-28).
  • Deus visitou Isabel por meio da Virgem Maria, grávida de Jesus. É maravilhoso o exemplo da Virgem de Nazaré, a futura Nossa Senhora. Ela, tão logo se sentiu grávida pela intervenção de Deus, foi às pressas visitar Isabel (Lc 1,39-45).

Aquela senhora idosa e gestante ficou emocionada, e até um tanto confusa, ao receber a visita inesperada feita pela futura Mãe do Senhor. Isabel exclamou: “Como posso merecer que a Mãe do meu Senhor venha me visitar? Logo que você chegou e me saudou, a criança se moveu dentro de mim” (Lc 1,43-44).

Já pensou? Duas futuras mães se visitando... E nesse ambiente de visitas, Deus foi mostrando para elas os sinais de sua presença. Momento sagrado, com certeza. - E quando nasceu o filho de Isabel, o seu pai, Zacarias, rezou dizendo que “Deus visitou o seu povo” (Lc 1,67-68). Mais ainda: a salvação entra na casa onde a visita é feita em nome de Jesus, e em comunhão com a Igreja de Jesus Cristo (Lc 19,9).

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS