Variedades Extras
18/02/2021 Dr. Inácio José do Vale Edição 3933 Epicuro e seu ensino para uma vida melhor
F/ Pixabay
"Nunca se protele o filosofar quando se é jovem, nem canse o fazê-lo quando se é velho, pois que ninguém é jamais pouco maduro nem demasiado maduro para conquistar a saúde da alma."

Dr. Inácio José do Vale

Epicuro de Samos (341 a.C. - 271 ou 270 a.C.), foi um filósofo grego do período helenístico. É o fundador da escola filosófica, chamada O Jardim, onde residia com alguns amigos, na cidade de Atenas. Lecionou em sua escola até a morte, cercado de amigos e discípulos e tendo sua vida marcada pelo ascetismo, serenidade, prudência e doçura.

Atenas no tempo de Epicuro, era uma cidade decadente. Perdida a batalha de Queroneia (338 a.C.), a cidade já não detinha a hegemonia e, após a morte de Alexandre Magno (323 a.C.), instalou-se uma luta pelo poder por parte dos generais alexandrinos – enquanto o povo ficou abandonado à fome, à falta de trabalho e à crescente delinquência.

Uma filosofia da crise

Epicuro não viveu a glória cultural dos tempos de Platão e Aristóteles. Sua filosofia, é uma filosofia da crise e sua escola filosófica denominada Jardim, era atitude de denúncia do colapso cultural grego. Trata-se de um saber em novos horizontes!

O Jardim era, antes de tudo, um espaço de convivência no qual se buscava a felicidade associada ao prazer como recusa da dor, além de se procurar a simplicidade, a prudência e a vida modesta, cultivando a pedagogia da amizade como caminho para a sabedoria e abissalidade do bem-estar.

Influenciado pelo hipocratismo, corrente derivada de Hipócrates (460-377 a.C.), considerado por muitos como o pai da medicina e que teve grande importância na época clássica de Atenas. Epicuro vê a filosofia como uma possibilidade de restauração de determinado ideal de saúde frente ao qual a própria medicina se torna dispensável.

A etimologia mesmo de seu nome remete a esse destino: epíkouros é “aquele que socorre”; epikoureîn, “socorrer” e epikouría, “socorro”. É a saúde que dá significado à medicina e não à enfermidade, já que a saúde é a meta da ciência médica: o que dá sentido à medicina não é a doença, como estado patológico, mas a saúde, como estado ideal e desejável.

Para Epicuro, esse tipo de sabedoria filosófica seria um caminho para a superação da decadência da cultura, situação em que proliferam almas cultas e, por isso mesmo, doentias. Essa infelicidade se espalha como uma epidemia atingindo toda a população e a sabedoria epicurista se apresenta como remédio que salva ao expulsar temores e aflições do corpo, da mentalidade boçal e da alma doentia. A filosofia de Epicuro é restauração holística da saúde. Seu principal ensino era libertar o homem para uma vida melhor.

A pior doença é o câncer na alma

A pior de todas as enfermidades no ser humano é o câncer na alma. Essa doença causa desespero, angústia profunda, solidão, depressão, perturbação e terríveis inimizades, ou seja, vive sem amigos e falidos relacionamentos. O câncer na alma se materializa no corpo com muitas doenças. A vida é sem sentido, sem amor e sem a verdade. Vive uma decadência moral, intelectual, econômica e gasta o que não tem.

A causa de tudo isso é em protelar, ou seja, adiar, deixar para depois o tratamento de saúde da alma. A maior infelicidade é protelar em não se reconhecer doente, tóxico, ansioso, antipático, ignorante e estúpido! O câncer na alma corrói a mente, o prazer de viver, as amizades, a dignidade, o triunfo e a buscar do saber.

“A maior conquistar do ser humano é a saúde da alma”. A vida feliz, com sentido glorioso e o deslumbrar de novos horizontes, se encontram no conhecimento de si mesmo, na sabedoria, na virtude, na doçura pedagógica, na arte e na terapia. Estes são remédios para o corpo e a alma!

 


Psicanalista Clínico, PhD
Qualificado em Psicologia Clínica e Educacional
Pós-graduado em Psicologia nas Organizações com Habilitação em Docência no Ensino Superior pela Faculdade Educamais de São Paulo-SP.
Psicologia, Educação e Desenvolvimento pela Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo-SP.
Doutorado em Psicanálise Clínica pela Escola de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea. Rio de Janeiro-RJ. Esta é reconhecida e cadastrada na Organização das Nações Unidas - ONU (United Nations Department of Economic and Social Affairs).
Autor do livro Terapia Psicanalítica: Demolindo a Ansiedade, a Depressão e a Posse da Saúde Física e Psicológica 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS