Formação Família
29/04/2020 Pe. Sebastião Sant’Ana Silva, SDN   Edição 3923 ECC: 50 anos preparando “mão de obra”
F/ facebook.com/eccpastoralfamiliar
"Nos 50 anos de existência, mais de 3 milhões de casais vivenciaram o ECC e testemunham as mudanças em suas vidas"

 

Pe. Sebastião Sant’Ana Silva, SDN

O Encontro de Casais com Cristo (ECC) – "serviço-escola" da Igreja Católica em favor das famílias – celebra, em 2020, cinquenta anos de fundação. A comemoração do jubileu de ouro nos faz voltar a Paróquia N. Sra. do Rosário, Vila Pompéia, em São Paulo. Padre. Alfonso Pastore, pároco e fundador do ECC, deixou documentado em ATA que o ECC nasceu em abril de 1970, com a aprovação do Estatuto pelo Arcebispo de São Paulo. O primeiro Encontro foi realizado naquela paróquia (N S Rosário), nos dias 10, 11 e 12 de julho do mesmo ano.

O ECC é um serviço e uma escola. Não é um movimento nem uma pastoral. Seu “Documento Nacional” afirma que “o ECC é um serviço da Igreja, aprovado pela CNBB, para

– evangelizar a família, primeiro núcleo da evangelização e da inculturação, “Igreja Doméstica” e “santuário da vida” e

– despertar os casais para as pastorais paroquiais, devidamente integrado na Pastoral de Conjunto da (Arqui)Diocese”.

 

Nem Movimento e nem Pastoral

Percebo aí um aspecto precioso do ECC, quando levado a sério, quando bem conduzido. Os casais não fazem o ECC para ficarem filiados ao ECC; são despertados por ele para uma vida paroquial mais intensa, sob a orientação do pároco, do Conselho de Pastoral Paroquial e das Pastorais (Arqui)Diocesanas.

Ao Frei Almir Guimarães, dedicado franciscano, cabe os méritos de ter sido um dos principais organizadores da Pastoral Familiar no Brasil. Em alguns congressos, pude ouvi-lo afirmar que o ECC foi a maior fonte de “mão-de-obra” para a Pastoral Familiar. Esta só cresceu depois que o ECC se espalhou por todo o país e se colocou a seu serviço.

A paroquialidade é uma das suas marcas essenciais; “tirá-la seria como arrancar-lhe a alma”, dizia Pe. Pastore. Sem essa identificação paroquial, ele se desfigura. O ECC quer ser etapa, meio, instrumento, ponte, passagem. Repetindo o Frei Almir, o ECC é “formador ou preparador de mão-de-obra” para as pastorais, especialmente para a Pastoral Familiar.

 

Escola de formação em três etapas

O ECC é também uma verdadeira escola. Sua formação é passada em três etapas distintas, indispensáveis e inter-relacionadas, cada uma com características e finalidades próprias. 

A primeira etapa, visa levar cada pessoa ao encontro consigo, ao encontro com o outro cônjuge, com a família e, sobretudo, ao encontro do casal com a pessoa de Jesus Cristo.

A segunda, catequética e em nível de forania (setor), ajuda o casal a conhecer melhor a Igreja, seus documentos e suas orientações, tendo em vista se capacitar para o trabalho pastoral.

A terceira etapa, diocesana, mostra ao casal o sentido de sua presença de cristãos leigos no mundo, ajuda-o a ver com olhos mais cristãos a complexa realidade em que vivemos e o convida ao compromisso de transformar essa mesma realidade social a partir dos critérios do Reino de Deus.

É evidente que essa formação em três etapas, – comparadas aos ensinos fundamental, médio e superior, – deve ser constantemente motivada. Além disso, entre as etapas, são programadas as reuniões de grupo para o estudo dos “temários” correspondentes a cada etapa.

 

Pároco e Conselho Pastoral Paroquial

E depois da terceira etapa e seu respectivo “temário”, o que vem? É claro que a formação cristã deve continuar, ser permanente. Mas aí a responsabilidade já não é mais do ECC. De agora em diante é com a Paróquia, isto é, com o Pároco, com o Conselho Paroquial, com as Pastorais Diocesanas.

A esta altura, todos os casais, dispostos à caminhada cristã, já deverão estar inseridos na Pastoral Familiar ou em outra pastoral organizada na Paróquia.

É verdade que alguns bispos e padres se queixam de que membros do ECC e dos movimentos tendem a fechar-se sobre si mesmos, a criar “panelinhas” de famílias boas, a reduzir Igreja e família aos seus limites, a não ter um postura samaritana diante da grande e real problemática de numerosas famílias à sua volta. Muitas vezes se ligam muito mais às orientações de fora do que às propostas pastorais da Paróquia ou da Diocese. Sou muito grato a Deus pelo enorme bem realizado por casais despertados pelo ECC em paróquias onde trabalhei muitos anos (MG, MT e AM).

 

Período jubilar e os congressos nacionais e regionais do ECC

O XXII Congresso Nacional do ECC, realizado em Brasília de 12 a 14 de julho de 2019, marcou o início das grandes celebrações jubilares. O tema foi precisamente "Evangelização, formação e missão a caminho dos 50 anos" e o lema "Ide e fazei discípulos meus" (Mt 28,19). Por sua vez, o XXIII Congresso Nacional, a ser vivenciado em São Luís (MA) em julho de 2023, encerrará e sintetizará o rico quatriênio das grandes celebrações jubilares.

Enquanto isso, os 16 Regionais em que está organizado o ECC no Brasil estão em pleno processo de encontros de formação, de revisão e de grandes celebrações que culminarão com os Congressos Regionais.

Atualmente resido e trabalho na Região Leste da CNBB que engloba os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. O XVIII Congresso da Região Leste, que está sendo preparado com muito carinho, será realizado de 02 a 04 de julho de 2021, em Uberaba (MG). Seu tema é 'ECC: 50 anos de Júbilo e Missão a serviço da Família". O lema: "Avance para águas mais profundas e joguem as redes para a pesca" (Lc 5,4).  

Coordenação e celebrações jubilares nacionais, regionais e provinciais

O Casal Regional Leste II do ECC, Ricardo e Vânia (Barbacena, MG), informa que Dom Adair José Guimarães, Bispo da Diocese de Formosa (GO), é o atual Assistente Eclesiástico Nacional do ECC. Os casais Eddie Guttemberg e Maria Luiza Ferreira, de Campo Grande (MS) e Emanuel Acaiaba e Eliene Medeiros Souza Reis, de Palmas (TO), respondem atualmente pela Secretaria Nacional do ECC.

Peregrinação da Imagem do Congresso (Nacional ou Regional) pelas Dioceses das Províncias, Encontro dos sacerdotes com Dom Adair em Aparecida (25/07/20), Missa de Ação de Graças pelos 50 anos do ECC na Basílica Nacional (26/07/20) e Encontro dos Diretores Espirituais com Dom Adair em Belo Horizonte (31/08 a 01/09/20) são algumas entre as muitas atividades programadas para celebrar o Jubileu de Ouro do ECC.

Nos 50 anos de existência, mais de 3 milhões de casais vivenciaram o ECC e testemunham as mudanças em suas vidas. Obrigado, Senhor, pelo bem realizado!

 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS