Variedades Família Julimariana
03/09/2020 Irmã Luiza Divanda Amorim Edição 3928 Cuidar também é uma arte Irmã Cordimariana
F/ Cordimarianas
"A espontaneidade e leveza com que muitas vivem nos ensinam o quanto bela é a vida e o quanto são felizes e agradecidas pelo SIM generoso que deram a Jesus Cristo."

Irmã Luiza Divanda Amorim - Irmã Cordimariana

Deus cuida de nós com amor incondicional e o cuidado que temos para com os outros é fruto desse amor, com a certeza do Pastor que nos conduz e não nos falta coisa alguma (Sl 23,1). A alegria e gratidão refletido em cada olhar e em especial de minhas queridas irmãs idosas Cordimarianas que com júbilo, tenho a graça e oportunidade de viver, conviver e cuidar. E isto nos tornam mais humanas e mais felizes. É uma experiência edificante e sem explicação. Cuidar é uma arte! É simples e natural é deixar-se tocar e fluir desde o silêncio á explosão da alegria que refletidos por meio do olhar, do toque, do abraço do aproximar-se sem forçar e sem cobrar, mas no ritmo próprio de quem já muito fez e ainda continua a fazer de outras formas. Pois, o testemunho e as marcas da história são legados que não há tempo que apague.

Quando as palavras não mais nos alcançam nos envolvem gestos de carinho, ternura, força, Fé, confiança, olhares que por vezes também manifestam, solidão, tristeza, angústia, medo, insegurança, saudades, porém o espirito resiliente e orante as mantem inabaláveis. É percebível fluir em nós uma força e uma energia vibrante que nos encoraja a cuidar com o coração carregado de muito amor. Embora por vezes, a impaciência inerente às gerações se apresente sem muito sucesso. “Viu, teve compaixão e cuidou dele” citação iluminadora para nossa missão de cuidadoras e ainda, por carregarmos entranhadas em nós a COMPAIXÃO E A MISERICORDIA do ser Coração de Maria. Há muito que expressar, pois, a vivência comtemplada no cotidiano missionário em que nos encontramos, pede tempo e em especial para OUVIR. Então vamos nos envolvendo e ai manifesta-se a arte do cuidado. As expressões: já vou, espere um pouco, tenha paciência, aguarde, agora não, devem ser substituída por carinho, atenção, escuta, estou aqui.

O olhar carregado de carinho e sorriso é reflexo na arte de cuidar. A espontaneidade e leveza com que muitas vivem nos ensinam o quanto bela é a vida e o quanto são felizes e agradecidas pelo SIM generoso que deram a Jesus Cristo e á Congregação. Jesus, o mestre do cuidado em seu Evangelho nos ensina a captar palavras, discernir sentimentos. Seus gestos ternos expressam a profundidade do seu amor. Vendo-o fixou-os olhos (Jo18, 6). Mc 1,29-31 Jesus aproxima-se da mulher acamada, toma-a pela mão e faz com que ela levante. Ele quer encontrá-la e sem palavras, faz gestos simples e afetuosos, estabelece uma relação de cuidado. Nossos gestos podem curar, sendo presença que ilumina, transforma e devolve o brilho no olhar. Nas fragilidades próprias da idade, a ternura e o cuidado chegam como remédio. Maria, a mãe cuidadora, também nos ensina por seus gestos de acolhida e disponibilidade sem limites quando apressadamente parte para servir Isabel (Lc 1,39).

Portanto, Aprendizagem, crescimento humano e espiritual adquirido a partir do convívio com esta geração, fortificam nossa opção e revitalizam nosso jeito de ser, fazer e cuidar.

 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS