Destaques Atualidade
18/05/2020 Dione Afonso Edição 3924 CORONAVÍRUS: escolas fechadas até quando? Entrevista com Tania Maria Silvestre Galvano
F/ pexels.com
"Cuidar da vida é a nossa prioridade. Estar em prontidão para auxiliar a quem precisa. Estar atentos com os grupos de risco, sobretudo os idosos que são os mais afetados pelo vírus."

Frt. Dione Afonso, SDN / dafonsohp@outlook.com

 Depois de sofrer as consequências das enchentes de 24/25 de janeiro, agora, em escala mundial, uma pandemia coloca em crise as mais importantes instituições do Estado. Já caminhando para o segundo mês de quarentena, cidades de todo o mundo enfrentam as dificuldades de não se conviverem socialmente. Grupos de risco como gestantes, crianças, idosos e aqueles que sofrem de alguma morbidez tentam se isolar o máximo possível.

O grande impacto, lógico, é na economia. O dinheiro para de circular e isso começa a afetar, sem rodeios os pequenos comerciantes. Muitos tentam formas alternativas de não passarem por necessidades maiores. Grande preocupação vem das instituições de ensino do país. Em conversa exclusiva com a professora Tania Maria Silvestre Galvano, temos um panorama atual de como as escolas irão lidar com essa situação.

Tania é, atualmente Secretária de Educação do município de Espera Feliz, situado na Zona Leste de Minas Gerais. Graduada em Pedagogia, Pós-Graduada em Psicopedagogia, Ensino Religioso e Supervisão Escolar, ela relata a atual preocupação da Rede de Ensino. Confira, com exclusividade a nossa conversa:

 O Lutador: Quando soou o alarme (se é que houve um) da urgência do isolamento social por conta do contágio da covid-19, como que a população reagiu?

Tania: Sim. Houve um comunicado. Quando soou o alarme sobre a urgência do isolamento social, de forma geral, todos ficaram muito assustados e devido as notícias da gravidade e rapidez com que o vírus se espalhava, a maioria da população viu a necessidade de ficar em casa. O prefeito municipal logo assinou um decreto suspendendo o funcionamento das atividades em lugares que geravam aglomeração. Criou-se um comitê extraordinário com representantes dos setores da Secretaria de Saúde, demais Secretarias Municipais e demais representatividades da cidade, para tomar as decisões que iam surgindo de acordo com as notícias e os acontecimentos.

 O Lutador: Sabemos que não só Espera Feliz, que teve mais de 70% da cidade destruída pelas enchentes de janeiro, mas muitas cidades da região ainda lutam para recuperar-se. Diante de tal quadro, acredita-se que o surto do coronavírus pode ter afetado ainda mais o município? Como que o poder público (prefeitura, prefeito, secretarias) está reagindo diante disso?

Tania: O município de Espera Feliz sofreu muito com a enchente ocorrida na noite do dia 24/01/2020. Muitas pessoas perderam suas casas, suas mobílias, a maioria do comércio foi atingida. As pessoas vinham tentando recuperar alguma coisa, reerguer-se e recomeçar suas atividades. De repente, surge a pandemia da COVID-19 que afeta a todos e, principalmente, a economia da cidade. Vários comércios fechados, as pessoas apreensivas quanto à recessão, ao desemprego, etc. O poder público, desde a enchente, vem buscando recursos para ajudar famílias que perderam tudo ou quase tudo. A Secretaria de Ação Social está à frente destas questões. Muitas famílias recebem o aluguel social, cestas básicas... O surto do coronavírus certamente veio agravar ainda mais esta situação. Também foram montados Kits de Alimentação Escolar que estamos distribuindo para as famílias dos alunos que apresentam maior vulnerabilidade social e baixa renda.

 O Lutador: Quanto às escolas municipais e instituições de ensino do Estado. Que ações a Secretaria de Educação e a Superintendência Regional pretende tomar diante desse quadro?

Tania: Quanto às escolas municipais, estaduais e privadas, continuamos com as aulas suspensas. As escolas particulares estão enviando atividades aos alunos desde a suspensão das aulas. Já as escolas estaduais e municipais aguardam decisão da Secretaria Estadual de Educação, sobre o trabalho remoto. Como o nosso município não possui sistema próprio de ensino, estamos aguardando um parecer do Estado de Minas Gerais ao qual estamos atrelados.

Observação: Esta entrevista foi cedida nos primeiros dias do mês de maio. Duas semanas depois a Prefeitura Municipal de Espera Feliz publicou um comunicado informando que “prorroga a suspensão de aulas presenciais na Rede de Ensino Pública e Privada, para suprir às ações de contágio e proliferação do coronavírus (covid-19). Ficam suspensas as aulas presenciais em estabelecimentos públicos e privados do município de Espera Feliz até 30/06/2020” (DECRETO Nº 1.194 DE 12 DE MAIO DE 2020).

 O Lutador: E a situação dos professores da Rede de Ensino? Têm sido amparados por medidas púbicas como garantia salarial?

Tania: Os professores da rede municipal de Educação que foram contratados em fevereiro, continuam recebendo seus salários em dia. Não sabemos até quando isso será possível, mas o município vai fazer o possível para não precisar rescindir contratos, gerando assim, mais dificuldades para as pessoas que dependem deste salário.

 O Lutador: No mês de abril a Superintendência Regional se reuniu em conferência para falar a respeito do isolamento social e como isso afeta as aulas, sobretudo em escolas situadas em zona rural dos municípios. A partir dessa reunião, algumas ações foram norteadas? Quais?

Tania: Tivemos uma videoconferência com os Secretários e o Superintendente de Educação dos municípios que fazem parte da Superintendência Regional de Ensino de Carangola, no dia 14/04/2020, a fim de iniciar o trabalho remoto nas escolas e pensar na forma de enviar atividades aos alunos. Porém, o Ministério Público de Minas Gerais emitiu uma liminar suspendendo as atividades. Na última semana de abril, alguns municípios, inclusive Espera Feliz, estão organizando, juntamente com os Supervisores Escolares/ Professores, as atividades que serão enviadas aos alunos a partir do dia 04/05/2020. Alguns receberão as atividades via Rede Social, outros receberão envelope contendo atividades impressas. Essas atividades serão feitas em casa pelos alunos. Tudo é muito novo para todos nós e estamos buscando atingir a totalidade dos nossos alunos. Não sabemos por quanto tempo essa situação vai permanecer. Sabemos que o prejuízo na aprendizagem dos conteúdos será enorme, mas tentaremos nos adequar e minimizar esses prejuízos. Por outro lado, é uma oportunidade de novas vivências em família que podem muito contribuir para valorizar o que é essencial na formação do ser humano. Esperamos passar por essa pandemia, fazendo nossa parte a fim de preservar vidas, isto que é o mais importante. 

 Espera Feliz atinge um número preocupante de contágio

Na região em que se situa o município dos alegres mineiros esperafeliscense, a cidade está liderando o ranking de contágios confirmados pela covid-19. É o município que apresenta maior número de casos da região. Atualmente Espera Feliz comporta uma média de 25 mil habitantes, não sendo, portanto, a cidade mais populosa nas redondezas da Zona da Mata. Tal número colocou as autoridades e suas Secretarias em alerta. Grandes ações estão sendo empreendidas pelos órgãos municipais afim de controlar o contágio e proteger os cidadãos. A preocupação, como afirma Tania, é grande em vários campos, sobretudo no da Educação e Ensino. No Brasil, o número de mortos por coronavírus já ultrapassa os 10 mil mortos, e, em Minas, mortos aproximam de 150. Continuamos e intensificamos as recomendações dadas pelos órgãos de saúde de nossas cidades. Ficar em casa, evitar contato, sair só em caso de urgência. Se sair, uso de máscaras e de álcool em gel é essencial.

Cuidar da vida é a nossa prioridade. Estar em prontidão para auxiliar a quem precisa. Estar atentos com os grupos de risco, sobretudo os idosos que são os mais afetados pelo vírus.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS