Formação Leigos
27/07/2021 Luis Miguel Modino Edição 3938 Construir uma Igreja com rosto amazônico Escola de Formação de São Gabriel da Cachoeira
F/ Luis Miguel Modino
"A escola pretende capacitar para a liderança e animação bíblica, litúrgico, sacramental, possibilitando formação para lideranças que vivam a palavra e os sacramentos que celebram. Momento para aprofundar princípios e valores da ética cristã e cidadania."

O Sínodo para a Amazônia deu um impulso definitivo à necessidade de fazer realidade uma Igreja com rosto amazônico e rosto indígena. Aos poucos, a Igreja da Amazônia vai dando passos nesse sentido, ajudando os agentes de pastoral e as lideranças a entender e assumir esse jeito de ser Igreja.

Na diocese de São Gabriel da Cachoeira, a circunscrição eclesiástica com maior porcentagem de população indígena do Brasil, está acontecendo a Escola de Formação, que tem como objetivo “formar lideranças testemunhas capazes de dar razão da própria fé e ajudar a construir comunidades eclesiais com rosto amazônico”.

A escola vai se prolongar ao longo de três anos, com seis módulos, que acontecerão nos meses de julho e janeiro. No dia 18 de julho começou o primeiro módulo, que vai se prolongar até o dia 31 de julho. A escola pretende capacitar para a liderança e animação bíblica, litúrgico, sacramental, possibilitando formação para lideranças que vivam a palavra e os sacramentos que celebram. Junto com isso, será momento para as lideranças aprofundarem na própria fé e nos princípios e valores da ética cristã e da cidadania.

A metodologia prevista para a escola vai ter momentos teóricos e práticos com aprofundamentos dos conteúdos, que depois serão repassados nas paroquias e comunidades. Junto com isso os participantes vão participar de oficinas da leitura orante, do ofício divino e da Celebração da Palavra como método e pratica.

O primeiro módulo tem 80 participantes de todas as paróquias da diocese. Dentre eles se fazem presentes 10 povos indígenas: Tukano, Yanomami, Baré, Baniwa, Piratapuia, Werekena, Arapaso, Desano, Tariano eTuyuka. A temática está sendoAntropologia cultural eTeológica, com a assessoria dos padres Justino Rezende e Sidicley Meireles, indígenas nascidos na diocese de São Gabriel da Cachoeira, eclesiologia, como padre Zenildo Lima, reitor do Seminário São José de Manaus,eLeitura Orante e celebraçõescom a assessoria dopadre Odílio Gentil dos Santos, também indígena.

 Leia também:
Pela unidade da Igreja de Cristo
A responsabilidade das religiões

Papa restringe a celebração da missa na forma anterior ao Vat. II

1ª Assembleia Eclesial e a conciência de discipulos

O futuro começa agora

#Voces: um pacto educativo global

8º Intereclesial das CEBs no Paraná

A vida de Lázaro também importa
Lei da ficha limpa - Nota de Repúdio
Igreja apostólica e sinodalidade
O processo de Escuta deve ser mútuo e transformador

"O diaconato de mulheres só precisa ser reconhecido..."

Para que serve um velho?

Precisamos de leigos como sujeitos eclesiais
Sinodalidade e espiritualidade

Catequese Papa Francisco: Introdução aos Gálatas

Sínodo vai exigir repensar as estruturas da Igreja
A irresponsabilidade das autoridades

Sínodo 2023: Equipe de animação do Brasil


Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador em primeira mão.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS