Formação Cidadania
26/02/2022 Luis Miguel Modino - Regional Norte 1 Edição 3945 CF 2022, “ajuda em diversas realidades da vida humana que precisa da transformação” Dom Leonardo: Abertura da Campanha da Fraternidade 2022 em Manaus
F/ By L M Modino
"O Arcebispo de Manaus refletiu sobre a evolução do conceito de pecado, que com São João Paulo II assumiu uma dimensão social e com o Papa Francisco nos faz um chamado a refletir sobre o pecado ecológico. Trata-se, segundo Dom Leonardo, de uma passagem da harmonia pessoal para a harmonia social."

A Arquidiocese de Manaus apresentava nesta quinta-feira 24 de fevereiro aos meios de comunicação a Campanha da Fraternidade 2022, que tem como tema “Fraternidade e Educação”, e como lema “Fala com sabedoria, ensina com amor”.

Dom Leonardo Steiner agradeceu a presença da mídia, destacando a importância que a Campanha da Fraternidade tem desde 1964 como momento celebrativo importante para o tempo da Quaresma, como um chamado à mudança, à conversão, como um instrumento que aborda uma realidade que deveríamos transformar.

O Arcebispo de Manaus refletiu sobre a evolução do conceito de pecado, que com São João Paulo II assumiu uma dimensão social e com o Papa Francisco nos faz um chamado a refletir sobre o pecado ecológico. Trata-se, segundo Dom Leonardo, de uma passagem da harmonia pessoal para a harmonia social.

Nessa perspectiva, ele insistiu em que a Campanha da Fraternidade vai nos ajudando em diversas realidades da vida humana que precisa da transformação. No caso da educação, é a terceira vez que essa temática é abordada pela Campanha da Fraternidade, lembrou o arcebispo.

Em 2022, a Campanha da Fraternidade pretende despertar para a importância da educação, não só sistemática, mais geral, chamando a refletir sobre a influência dos meios de comunicação, das redes sociais e dos aplicativos de transmissão de mensagens na educação. Dom Leonardo vê a educação como possibilidade de um desertar para a justiça, a fraternidade, a comunhão e a política, entendida como possibilidade monitorar e organizar a vida social.

Nessa perspectiva destacou a importância do Pacto Educativo Global do Papa Francisco e seu chamado ao cuidado de tudo o que faz parte de nossa comunidade humana. Citando o Papa Francisco, Dom Leonardo lembrou que “a educação será ineficaz e os seus esforços estéreis se não se preocupar por difundir também um novo modelo relativo ao ser humano, à vida, à sociedade, à relação com a natureza”. Por isso pediu que “os meios de comunicação, que são tão importantes na sociedade, possam levar esta mensagem de esperança, esta mensagem transformativa que a Campanha da Fraternidade deste ano nos oferece”.

Refletindo sobre a Constituição Federal brasileira em seu artigo V, que garante direitos iguais para todos, o padre Geraldo Bendaham se perguntava por que ainda existem crianças e jovens fora da escola segundo dados oficiais 1,4 milhões no Brasil. O Coordenador de Pastoral da Arquidiocese de Manaus denunciou que a educação está em crise e que ela é pautada em função do mercado, o que faz com que pobres, negros, indígenas tenham maior dificuldade para chegar ao curso superior.

A Arquidiocese de Manaus, desde outubro de 2022 vem refletindo sobre a Campanha da Fraternidade e promovendo formação em diferentes níveis, segundo Patrícia Cabral. Um trabalho realizado com multiplicadores, nas escolas e que durante a Quaresma será trabalhado não só no âmbito interno da Igreja, mas também nas escolas e com os profissionais da educação.

Dom Leonardo ainda lembrou a existência de subsídios para trabalhar a Campanha da Fraternidade e explicou o sentido da Coleta da Solidariedade, gesto concreto que a Igreja católica realiza no Domingo de Ramos. O arcebispo também refletiu sobre o impacto da pandemia na educação, afirmando que “o ensino teve uma desfasagem bastante grande”, refletindo sobre a dificuldade das escolas para retomar o processo educativo.

Ele falou dos alunos que não tiveram acesso através da internet e como isso fez com que perdessem o ano letivo, questões que precisam ser debatidas pelas secretarias de educação e nas próprias escolas, um desejo da Igreja para esta Campanha da Fraternidade. Essa situação também atingiu a educação na fé, a catequese, que também sofreu muito e exige uma reflexão.

Leia também:
CF 2022 - Escutar: antes de ensinar, aprender
Guerra, ameaça a humanidade, Papa convoca jejum
Dom Tirso Blanco, bispo missionário e defensor do povo sofrido
Papa Francisco e universitários: oportunidade se ser a voz de muitos
Entrevista sobre o encontro do Papa Francisco com jovens universitários
Curso realidade amazônica

Se Deus é de direita ou de esquerda

Falar com sabedoria, ensinar com amor

Um melhor serviço aos migrantes

Sinodalidade e processos de nulidade matrimonial

O carnaval brasileiro e a constituição

Templos, Igrejas e protestos, é preciso refletir

O Espírito continua a transbordar desde a Amazônia

Norteamento mais lúdico para dinâmicas do seminário

Igreja dos Estados Unidos e os migrantes

Dia da vida consagrada: Chamados a ser Igreja sinodal

Santarém: 50 anos do Vaticano II da Amazônia

Dom Walmor: Cristianismo...

Superar o negacionismo climático

Enchentes: ser uma presença humana e solidária
Sinodalidade e Missão da Igreja
Acesse este link para entrar nosso grupo do WhatsApp: Revista O Lutador Você receberá as novas postagens da Revista O Lutador.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS