Variedades Família Julimariana
05/07/2019 Ir. Iolanda Lima Edição 3914 70 Anos da Família Cordimariana
F/ FCIM
"É bom agradecer ao Senhor (Sl. 92,2)"

Ir.  Iolanda Lima do Monte – FCIM

 

E é com este sentimento de gratidão que os nossos corações transbordam de alegria pela nossa presença viva e atuante no amor sacrifical e no sacrifício amoroso, aqui na cidade de Caucaia.

Como moradoras pisamos em solo caucaiense em 31 de maio de 1949, a convite do nosso grande e querido amigo D. Antônio de Almeida Lustosa, de saudosa memória. Quando era Arcebispo de Belém conheceu a Congregação e a ela se afeiçoou. Com sua transferência para Fortaleza desejou que sua Sede e o Noviciado se transferissem para cá. Daí é que nasceu o convite. E a Madre Maria de Jesus, após sérias reflexões, resolveu acolher a proposta de D. Lustosa, enchendo o seu coração de muitas esperanças. Assim, encerrando o mês mariano com o coração em festa, a Congregação Cordimariana armou sua tenda nesta terra que alegremente nos acolheu e aqui, há 70 anos, buscamos evangelizar na compaixão e na misericórdia do coração de Maria. A Dom Lustosa devemos o carinhoso nome de Cordimarianas

 

Atualizar a história

Escrevendo este artigo lembro-me das palavras do Prof. Chaves quando nos afirma lembrando os 60 anos, que hoje transponho para os 70: “Reunimo-nos nesses setenta anos, não só para lembrar uma data qualquer, mas para fazer memória; e fazer memória é atualizar a história, é trazer o ontem para o hoje, o passado para o presente, o antigo ao novo. É revisitar a nossa história, é refundar o nosso carisma para nos engajarmos num novo tempo que exige imaginação e intuição profética”. E assim já se foram 70 anos.

Iniciamos nossa semeadura cordimariana pelos meios escolares através do Patronato Santa Maria, hoje Patronato Pio XI, de cuja obra educativa, temos aqui nesta cidade vários ex-alunos e ex-alunas e, quem sabe, mundo afora também. Muitas de nossas Irmãs educadoras por aqui passaram; entre elas citamos: Irmãs Maria Gabriela, Benigna, Lucina, Jesus Hóstia, Maria de Loreto, Maria Crismanda Saraiva de Oliveira, Maria de Jesus Barroso da Fonseca.

E a Evangelização foi crescendo, criando asas e aos poucos fomos atingindo outros campos missionários através da catequese, trabalho com a juventude, casais, círculos bíblicos etc. Memorando estas áreas não podemos deixar de lembrar a presença missionária das Irmãs: Maria Gabriela, Maria Consolata, Maria do Divino Coração e Maria da Paz, todas de saudosa memória nos corações nossos e do povo.

E, nossa querida Madre Maria de Jesus que, sabiamente dirigiu a Congregação por 44 anos teve a graça de permanecer em Caucaia durante 35, nem todos mais à frente do Grupo, mas como mãe amorosa, mulher forte e corajosa. E aqui, no momento, vale até recordar uma poesia de Ir. Maria da Graça – FCIM: -“Que sabedoria é esta que acompanhou tua vida e te fez sábia, prudente, mantendo certa reserva, mas agindo com ousadia?

 

Carisma Cordimariano

-Ah! O seguimento a Jesus, o caminhar com Maria, o viver Eucaristia!..”

Foi assim a nossa Madre Maria de Jesus, aquela que se tornou para todas nós a Mãe Carinhosa a pastora do Carisma Cordimariano. Segundo Frei Macapuna ela é aquela que qual vaso de argila resistente guardou, até se quebrar, o perfume de Cristo transmitindo-o com fidelidade, a gerações e gerações de Cordimarianas”.

No final deste ano, celebraremos, com alegria, 103 anos de fundação Cordimariana e aqui, em Caucaia, além da Sede da Casa Geral, temos ainda a Casa de Formação que acolhe Aspirantes, Postulantes, Noviças, o Memorial Servo de Deus Júlio Maria De Lombaerde (fonte de informação da História Cordimariana), a Casa de Encontros Ir. Maria do Amparo, não só para os Encontros da própria Congregação, mas também para outros eventos extra-Congregação, a Casa Matriz que acolhe as Irmãs idosas e mais fragilizadas e, com o mesmo objetivo, temos ainda a Comunidade São José, hoje já uma extensão da Casa Matriz, mas antes ponto de apoio para as Irmãs do Patronato Pio XI.

Agora, nestes 70 anos de caminhada nesta terra, agradecemos, com alegria, ao querido povo de Caucaia que sempre nos acolheu e nos acolhe com as bênçãos da querida e amada Senhora dos Prazeres.

 

E, nesta profunda AÇÃO de GRAÇAS, rezemos com o Salmista: “Que poderemos retribuir ao Senhor por tudo o que ele nos tem dado?” (Sl 116/115,12)

 

 

 

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS