Roteiros Pastorais Palavra de Vida
30/09/2020 Antônio Carlos Santini Edição 30/09/2014 – Quem olha para trás... (Lc 9,57-62)

PALAVRA DE VIDA

30/09/2014 – Quem olha para trás... (Lc 9,57-62)

            Somos humanos. No entusiasmo do primeiro amor, assumimos o compromisso de evangelizar. A pulsação que vibra em nós, queremos que outros a experimentem em sua vida.

            Mas continuamos humanos. Logo advêm as barreiras, dificuldades, duras incompreensões. Somos tentados a desanimar e abandonar tudo. Assim, a imagem empregada por Jesus define bem a situação: pôr a mão no arado e... olhar para trás...

            Quando lemos a vida dos santos, descobrimos com surpresa que todos eles passaram por essa encruzilhada. E não era para menos. São João Bosco sente o chamado para ampliar a ação de sua Congregação para outros países, mas enfrenta a oposição direta de seu bispo. Só lhe resta obedecer. São José de Calasanz é caluniado gravemente por dois de seus sacerdotes. Roma manda fechar a sua Obra. O Santo obedece e morre. Só após sua morte as Escolas Pias seriam reabertas e se espalhariam pelo mundo. São Francisco de Assis vê sua Ordem dominada pelos “doutores” e é praticamente aposentado nas montanhas geladas.

            Certamente, todos eles foram perseverantes e não abandonaram o seu arado. Mas sabemos que sofrimentos íntimos precisaram enfrentar! É assim que acontece quando os casais enfrentam as dificuldades do casamento e são tentados a romper seu juramento. Acontece, ainda, com os estudantes que se sentem incapazes de atender às exigências dos professores. Acontece igualmente com os educadores e os profissionais da saúde que trabalham sem as mínimas condições materiais. Acontece, enfim, com os doentes crônicos ou já em fase terminal, normalmente rondados pelos terríveis fantasmas do desespero.

            A todos eles, Jesus está dizendo: “Não olhe para trás! Você não está sozinho! Abrace firme a sua cruz e sinta a minha presença do seu lado... Estaremos juntos até o fim...”

            O Papa João Paulo II foi até o fim. Quando sugeriram que deixasse a Cátedra de Pedro, devido aos graves problemas de saúde, ele disse: “O Papa não pede demissão.” E o apóstolo Paulo escreveu: “Consciente de não ter ainda conquistado a meta, só procuro isto: prescindindo do passado e atirando-me ao que resta para a frente, persigo o alvo, rumo ao prêmio celeste, ao qual Deus nos chama, em Jesus Cristo.” (Fl 3, 13-14.)

Orai sem cessar: “O Senhor não há de abandonar a sua herança.” (Sl 94,14)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Nova Aliança.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS