Roteiros Pastorais Palavra de Vida
24/06/2022 Antônio Carlos Santini Edição 24/06/2022 – Alegrai-vos comigo! (Lc 15,3-7)

PALAVRA DE VIDA

24/06/2022 – Alegrai-vos comigo! (Lc 15,3-7)

            Uma ovelha perdida. Uma longa procura. O encontro e... a alegria! Em sua parábola – uma das três sobre a misericórdia do Pai – Jesus não fala um só instante sobre decepção ou mágoa, sobre cansaço e perda de tempo. Fala apenas em alegria.

            Como entender a alegria de Deus? Vejamos a reflexão de Helmut Gollwitzer:

            “O pecador é a alegria de Deus. Compreenda quem puder. Os doutores do tempo de Jesus não entenderam. O Deus deles só se alegrava com o justo. Aqueles homens se esforçavam por conhecer a Deus. Eram os melhores teólogos de sua época e mesmo nós, hoje, das alturas de nosso cristianismo evoluído, não saberíamos desprezar facilmente a sua falsa piedade.

            A Escritura lhes dava um profundo conhecimento do Deus da justiça, ultrapassando o de todas as outras religiões. Entre as pessoas piedosas de seu povo, Jesus encontra a mais alta e mais severa forma de religiosidade. Um farisaísmo impressionante se forma inevitavelmente ali onde a revelação do Antigo Testamento a respeito da Justiça de Deus é concebida humanamente.”

            Mas é preciso que seja quebrada por Jesus essa fria compreensão humana sobre a retidão e a honestidade. Jesus fala por seus atos, como quando se recusa a condenar a jovem surpreendida em adultério (cf. Jo 8). Ou quando não tem qualquer reserva em sentar-se à mesa dos publicanos, considerados como gentinha impura pelos homens da Lei. Jesus sabe que sua missão é ser médico para doentes, salvador para pecadores.

            Diante da rejeição manifestada pelos fariseus, Jesus responde com parábolas que sempre culminam em alegria. Todas elas têm um “fim feliz”, quer se trate de recuperar ovelhas, moedas ou filhos. O desejo de Jesus é libertar os fariseus de uma piedade triste, que sempre acaba pelo rígido cumprimento da lei. Uma lei que se vive como um beco sem saída.

            “A alegria explode – conclui Gollwitzer – quando a busca do homem por Deus chega a seu alvo, quando um pecador, caído muito baixo como aqueles publicanos, ou um mundo decaído como o dos pagãos, são recuperados de modo que o rebanho fique de novo completo.”

            Enquanto houver um lugar vago na mesa, teremos de sair às encruzilhadas da vida e trazer novos convivas, até que a festa esteja bem cheia...

Orai sem cessar: “Preparas uma mesa para mim!” (Sl 23,5)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS