Roteiros Pastorais Palavra de Vida
15/03/2020 Antonio Carlos Santini Edição 15/03/2020 – Por volta da hora sexta...(Jo 4,5-42)

PALAVRA DE VIDA

15/03/2020 – Por volta da hora sexta...(Jo 4,5-42)

                Hora sexta? Meio-dia. Pois sim... Isto lá é hora de ir ao poço de Jacó para buscar água? Claro que não! E se o Evangelho de João insiste neste particular inverossímil, só admite uma explicação: aconteceu exatamente assim...

                As mulheres do povo vão buscar água no poço bem cedinho, quando o sol é fraco, o calor ainda não veio. Ou, então, ao cair da noite, para deixar as bilhas de água ao relento, sob o orvalho da noite, e ter uma aguinha bem gostosa no dia seguinte... O sol do meio-dia faz mal à saúde. Todo mundo o evita. Perguntem às lavadeiras de Marabá, que lavam sua roupa às margens do Tocantins!

                Mas esta mulher anônima – uma samaritana – foi buscar água ao meio-dia. Explicação? Apenas uma: não queria encontrar ninguém. Preferia não ser vista. Ferida pela vida, cinco vezes repudiada, vivendo com o sexto homem (e não é marido dela! Cf. Jo 4,18), passa a evitar os encontros e... os comentários engraçadinhos...

                Deixou a aldeia de Sicar dos palestinos, descendentes de Jacó, o trapaceiro, bem na soalheira mais forte, pisando a areia ardente do semiárido, onde as ondas de calor favorecem muitas miragens. Levava à cabeça o cântaro de barro. Vazio. Tão vazio como a alma de sua dona...

                E não foi uma miragem que ela encontrou no poço. Encontrou Jesus. Ela pensa que não tem nada para dar. E o judeu lhe pede: “Dá-me de beber!” Muitos já comentaram que a sede de Jesus é sede de almas. Ele mesmo parece confirmar isto aos discípulos: “Eu tenho um alimento para comer que vós não conheceis”. (Jo 4,32.)

                Ao fim do diálogo com Jesus, a mulher volta para sua aldeia sem o cântaro (cf. v. 28). Mas a alma está cheia. Agora, é ela quem procura contato com as pessoas, perguntando aos seus compatriotas: “Não seria ele o Messias?” A escorraçada dos homens torna-se a anunciadora do Evangelho.

                Faz pensar? Com certeza! Muita gente honesta vive a rotina de sua segurança, contente em cumprir os doze mandamentos (que são dez...), sem nenhuma preocupação com os que parecem viver mal. Já a desclassificada da samaritana tem um único e breve encontro com o Senhor, e isto lhe basta para sair a campo e anunciar o Desconhecido. Não pode calar a sua descoberta!

                E nós? Já estamos anunciando?

 

Orai sem cessar: “Senhor, dá-me dessa água!” (Jo 4,15)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS