Formação Juventude
27/05/2019 Frt. Dione Afonso Edição 3912 “Christus vivit”: Cristo vive e quer-te vivo! Sobre a nova Exortação Apostólica de Francisco
F/ Dom Total
"Está em jogo o sentido da minha vida diante do Pai que me conhece e ama"

 

Frt. Dione Afonso, SDN*

 

Em Loreto, Santuário da Virgem Maria, o papa Francisco assina a 25 de março, Solenidade da Anunciação do Senhor, a Exortação Apostólica do recente Sínodo dos Bispos sobre os jovens, sediado no Vaticano em outubro de 2018. Diante da imagem da Virgem de Loreto, o Pontífice assinou o texto da Exortação e o ofereceu à Nossa Senhora.

Dividido em nove capítulos e 299 parágrafos o pontífice caminha partindo da Palavra de Deus até atingir o tema do discernimento vocacional iluminando nossas ações pastorais, bem como nos apontando possíveis caminhos sempre partindo de uma atitude de escuta ativa e que valorize a pessoa. Francisco se revela como um papa jovem e para os jovens. Francisco abre o seu coração sincero e simples, “se faz jovem afim de ganhar os jovens em nome do Evangelho”. Percorrendo os nove capítulos selecionamos alguns pontos que nos ajudam a caminhar com eles:

 

  1. Os jovens e a Palavra de Deus

Na bíblia encontramos belos exemplos de jovens que protagonizam a vossa história e transforma a sociedade em que vivem. “Jesus, o eternamente jovem, quer dar-nos um coração sempre jovem. Assim nos pede a Palavra de Deus: ‘purificai-vos do velho fermento, para serdes uma nova massa’ [1 Cor 5,7]. Ao mesmo tempo convida-nos a despojar-nos do ‘homem velho’ para nos revestirmos do ‘homem novo’ [Col 3, 9.10], do homem jovem” [CV, 13].

 

  1. Cristo é o eterno jovem

O evangelho é o próprio Jesus que, ainda jovem, ensina-nos a caminhar na direção do Pai. O papa reafirma que é preciso mergulhar por inteiro no ser de Jesus e não ficar olhando debruçados da janela. “Jesus ressuscitou e quer fazer-nos participantes da novidade da sua ressurreição. Ele é a verdadeira juventude dum mundo envelhecido, e é também a juventude dum universo que espera, por entre ‘dores de parto’ [Rm 8, 22], ser revestido com a sua luz e com a sua vida. Junto d’Ele, podemos beber da verdadeira fonte que mantém vivos os nossos sonhos, projetos e grandes ideais, lançando-nos no anúncio da vida que vale a pena viver. [CV, 32].

 

  1. Os jovens são o agora de Deus

O marco da JMJ de 2019 foi trazer para o agora da história os jovens. Papa Francisco encanta a todos e desperta no nosso coração um desejo de reafirmar como protagonistas de uma história nova, em Jesus. O pontífice nos chama a atenção para deixarmos de ser peritos em clarividência justificando o futuro dos jovens como incerto e inoportuno. “A juventude não é algo que se possa analisar de forma abstrata. Na realidade, ‘a juventude’ não existe; o que há são jovens com as suas vidas concretas. No mundo atual, cheio de progresso, muitas destas vidas estão sujeitas ao sofrimento e à manipulação” [CV, 71].

 

  1. Os jovens e o primeiro anúncio

Partindo de três verdades essenciais: “um Deus que é amor [CV, 112-117]; “Cristo nos salva” [CV, 118-123]; e “Ele vive” [CV, 124-129], o anúncio do Querigma é primordial aos jovens. “Se conseguires apreciar com o coração a beleza deste anúncio e te deixares encontrar pelo Senhor; se te deixares amar e salvar por Ele; se entrares na sua intimidade e começares a conversar com Cristo vivo sobre as coisas concretas da tua vida, esta será a grande experiência, será a experiência fundamental que sustentará a tua vida cristã. Esta será também a experiência que poderás comunicar a outros jovens” [CV, 129].

 

  1. Os caminhos da juventude

Sonhos, desejos, a enorme vontade de experimentar, fazer experiências novas que vos abre a novos horizontes e vos saciam dando a sensação grata de prazer garantido. Essas são as grandes marcas desse percurso que nossos jovens perpassam. Cristo Vive alerta-nos a valorizar o discernimento nessa etapa da vida, para que os prazeres não se tornem efêmeros e vazios de uma experiência que alimente toda a vossa vida adulta.

 

  1. Jovens com raízes

A ponte com os idosos é indispensável para uma juventude com raiz. Os jovens querem se autoafirmar construindo a vossa história. Para isso, eles rompem com tudo e com todos, com o passado, para construir um futuro totalmente novo. A ideia é boa, mas falta-lhes a referência, falta-lhes um ponto de partida. E, este vós encontrarão na linda experiência com os idosos. “Proponho aos jovens irem mais além dos grupos de amigos e construírem a amizade social: ‘buscar o bem comum chama-se amizade social. A inimizade social destrói. E uma família destrói-se pela inimizade. Um país destrói-se pela inimizade. O mundo destrói-se pela inimizade. E a inimizade maior é a guerra. E hoje vemos que o mundo se está a destruir pela guerra. Porque são incapazes de se sentar e falar […]. Sede capazes de criar a amizade social” [CV, 169].

 

  1. A Pastoral dos Jovens

Juntos, somos convidados a construir uma pastoral juvenil sinodal. Trata-se de um ‘caminhar juntos’, “que implica a valorização – através dum dinamismo de corresponsabilidade – dos carismas que o Espírito dá a cada um dos membros [da Igreja], de acordo com a respetiva vocação e missão” [CV, 206].

 

  1. A Vocação

A vocação é um chamado à santidade, à amizade, à fraternidade, ao amor, à família, ao trabalho e à consagração. Tudo parte de um convite batismal de querer ser algo mais para a sociedade. “Jesus caminha no meio de nós, como fazia na Galileia. Passa pelas nossas estradas, detém-Se e fixa-nos nos olhos, sem pressa. O seu chamado é atraente, fascinante. Mas, hoje, a ansiedade e a velocidade de tantos estímulos que nos bombardeiam fazem com que não haja lugar para aquele silêncio interior onde se percebe o olhar de Jesus e se ouve o seu chamado” [CV, 277].

 

  1. O discernimento

“Este discernimento, ‘embora inclua a razão e a prudência, supera-as, porque trata-se de entrever o mistério daquele projeto, único e irrepetível, que Deus tem para cada um […]. Está em jogo o sentido da minha vida diante do Pai que me conhece e ama, aquele sentido verdadeiro para o qual posso orientar a minha existência e que ninguém conhece melhor do que Ele” [CV, 280].

 

Para rezar e discutir em grupo:

  1. Vamos juntos estudar e refletir a Exortação Cristo Vive? O que mais nos fala com profundidade entre estes pontos centrais do documento?

 

* Religioso Sacramentino, Comunicação – PUC-Minas Contato: dafonsohp@outlook.com

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS