Formação Espiritualidade
27/09/2020 Dom Paulo Mendes Peixoto Edição 3928 A vontade do povo
F/ Pixabay
"Na vida cristã, os cristãos conscientes de sua missão são motivados a ter os mesmos sentimentos de Cristo."

Dom Paulo Mendes Peixoto

Qual é mesmo essa vontade do povo e em que contexto é possível defini-la? Todas as pessoas têm o senso da vida e querem viver bem, mesmo no meio de grandes dificuldades. Mas viver construindo um mundo mais justo e fraterno, num chão que abre espaço para que isso aconteça. Essa é também a vontade de Deus ao falar da construção do Reino dos céus proposto por Jesus Cristo.

 Uma das características reveladoras da vontade do povo é a esperança, mesmo que ela seja de forma dura e exigente, mas com capacidade de assegurar e equilibrar a autoestima da sociedade. No meio das inúmeras coisas negativas, das dificuldades e desmontes irresponsáveis no agir dos indivíduos, muitas outras atitudes positivas permeiam o agir nos diversificados ambientes humanos.

Em muitas circunstâncias, a vontade popular e comunitária não coincide perfeitamente com a vontade que cada uma das pessoas tem. Mas o coletivo deve estar acima da vontade individual, porque assim todos se beneficiam dos bens previamente queridos pela maioria. Por isto é importante cultivar na comunidade os sentimentos voltados para as realidades positivas e de ajuda comunitária.

Na vida cristã, os cristãos conscientes de sua missão são motivados a ter os mesmos sentimentos de Cristo. Com os pés seguros no chão e nas realidades do cotidiano, Jesus conservou a marca profunda de uma conduta toda calcada na humildade, no despojamento pessoal de todo tipo de vontade maquiada de orgulho próprio, de poder e de vaidade. Ele foi exemplo de esperança.

A proposta de viabilidade do Reino de Deus é bastante exigente, porque supõe transformações na forma de proceder da sociedade e a superação dos desequilíbrios desastrosos para a vida cotidiana do povo. Nesta realidade estão presentes as marcas da desonestidade, que afetam o bem comum e excluim da convivência social e econômica grande parte da população.

As pessoas não podem se conformar com o mundo marcado por hipocrisias, maldades e condutas perniciosas. A vontade de Deus é outra, é de gestos concretos de solidariedade e amor, motivando as pessoas para uma vontade de sublimidade e confiança numa vida de alegria e felicidade. O modelo está em Jesus Cristo, sobretudo na humildade e no amor solidário, traduzido em serviço ao próximo.

Arcebispo de Uberaba.

Compartilhe este artigo:
Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS