0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais
Revista Catolica O Lutador Missa é Festa Que Festa 800×350

Missa é festa? Que festa!?

Serginho Valle*

Tenho certeza de que você já ouviu, quem sabe, leu em algum livro ou revista que a Missa é uma festa. Quem falou assim estava certo. Certíssimo!

É verdade que a gente quase não vê sinais de festa na Missa, ao menos do jeito que nós brasileiros entendemos festa. Tem cantos, ornamentos, às vezes se batem palmas, uma que outra vez acontece uma coreografia ou dança… e termina por aí. Alguém já me disse que Missa é uma festa “séria”, sem riso nem alegria, com pouco pão e sem bebida.

Parece verdade! Só que a Missa como festa tem outro significado e outra motivação. É a festa da grande fraternidade e da grande comunhão. É o encontro com Deus e com os irmãos para repartir o pão, o vinho, a vida.

É uma festa onde sobra, exagera-se, na comunhão e na partilha. É a festa da grande partilha. Um modo gratuito de dividir o pão e o vinho, a paz, a oração, a alegria e, principalmente, a vida. Na verdade, a festa da Missa proclama que repartir a vida e fazer comunhão com Deus e com os irmãos é a grande festa do viver e do sentido da vida.

Você começa a entender essa festa quando sente a presença de Deus dividindo com você e no meio da gente. “Ele está no meio de nós” – não é isso que aclamamos várias vezes na Missa? É uma festa sentir Deus repartir sua Palavra, o pão, a paz e serenidade durante aquele momento de celebração. É uma Páscoa. É Deus passando no nosso meio e dividindo vida. Que festa! Que bela festa!

Tudo bem, até posso aceitar sua contestação quando me diz que toda festa tem fartura de comida e bebida. Concordo com você, mas em parte. Tem… e não tem… Se for fartura de comer e beber à vontade, isso não tem. Mas se é fartura de pão e vida para todo mundo, aí, sim, a Missa é uma grande fartura. Distribui-se o pão da vida para todos. Cada um tem um pedaço e Deus se faz todo inteiro em cada um. É fartura de pão, de vida, da partilha. Que festa!]

* Coordenador Serviço

de Animação Litúrgica – SAL

www.liturgia.pro.br

Deixe uma resposta