0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais

“Mente sadia num corpo sadio”

Matheus R. Garbazza

Apostar nas pessoas: eis uma atitude absolutamente necessária em nossos dias. Nem todo mundo tem a coragem de acreditar que o outro é um ser igualmente dotado de qualidades, de potencialidades, de bons desejos. É uma pessoa como eu! Às vezes recebe menos oportunidades, vê maus exemplos – e acaba fazendo opções infelizes.

Pelo contrário, quando vemos cidadãos que se empenham em ver o lado bom das pessoas, toda a comunidade parece que ganha um brilho novo. Acontece uma renovação das luzes e das esperanças nos horizontes de nossa gente. Uma única vida que seja transformada por nossa ação, nosso apoio ou nossas preces, já valeu a pena, porque a dignidade humana ninguém pode diminuir!

Penso isso, sobretudo, quando falamos das crianças. Cada pequeno, cada pequena, é um mundo de possibilidades. Estão abertos à construção da personalidade, do comportamento, do modo de ver o mundo. Precisam de bons estímulos para que essa construção seja sólida, bonita, bem trabalhada. Quanto mais pudermos fazer para afastar nossas crianças de todo tipo de maldades e vícios, tanto melhor. E não digo isto só do ponto de vista material, mas também cultural e espiritual. Existem muitos modos de perverter uma vida! E precisamos, como sociedade, defender a vida em todos os aspectos.

Neste número do Caderno de Cidadania, você vai conferir boas reflexões sobre como efetuar essa defesa a partir do ambiente esportivo. É um belo modo de integrar uma mente sadia num corpo sadio – como dizia o velho aforismo latino. Além dos ensinamentos e da prática esportiva, os participantes ainda trabalham a formação dos laços comunitários, que tanto precisam ser fortalecidos em nosso ambiente urbano.

A partida pela defesa da vida já começou. Entre para o nosso time!

Deixe uma resposta