0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais

Matrimônio e Sacerdócio: Caminho de Santidade (2/2)

Frei Pedro, Antonio e Silvana*

 

Para viver nesse novo estilo de vida, o EMM nos oferece, com o Fim de Semana, os pães e os peixes que Jesus nos propõe: praticar a escuta com o coração, a oração de casal, a convivência com pessoas que vivem os nossos valores e a intimidade sexual. O casal, o sacerdote e os religiosos e religiosas, são motivados a reavaliar sua prática cotidiana, se deixando purificar e renovar seus comportamentos e atitudes, sendo protagonistas de uma nova história de vida, priorizando a sua valorização pessoal capaz de compreender suas limitações e suas virtudes, para depois usar a mesma medida com o outro, e estando mais próximo, valorizando a dimensão da proximidade, intensificando o respeito e intimidade.

Para continuarmos a busca de santidade no Matrimonio e Ordem Sagrada, o EMM proporciona um caminho de formação e espiritualidade que favorece aos casais, aos sacerdotes e religiosos(as), e que ajuda minunciosamente a descobrir seus padrões de comportamentos, para nos tornarmos verdadeiros apascentadores das ovelhas de Cristo, guiando-os como um farol que ilumina a vida de outros casais, sacerdotes, religiosas e religiosos que ainda não participam da grande família de Dialogadores.

Para muitos casais e sacerdotes, religiosas e religiosos o Fim de Semana foi um divisor de águas em suas vidas. Percorrendo este caminho descobriram verdadeiramente o norte de suas vocações e o sentido da sua missão. Compreender o valor dos nossos sentimentos, nos ajuda a viver mais intensamente a nossa busca pela santidade. As vezes sentimos raiva, desilusão e até exageramos nossas expressões dos sentimentos. Depois de vivermos a experiência do Fim de Semana, descobrimos que a moralidade do que sentimos vai fazer a diferença positiva ou negativa, de acordo com as nossas atitudes. E sabemos que acolher o outro é usar de misericórdia, como Cristo é misericordioso.

Eu, Frei Pedro Izura, Agostiniano Recoleto, também como sacerdote pertencente ao Encontro Matrimonial Mundial, tenho feito uma caminhada de mãos dadas com matrimônios. Conheci o EMM graças a um casal. Aos poucos fui percebendo que minha vocação, meu sacramento tinha a mesma missão: procurar a santidade, oferecer minha vida a minha esposa, a Igreja. Junto deles sentia mais força para levar a Boa Nova às pessoas que tinha encomendadas: os alunos, os pais dos alunos, os fiéis da minha paróquia.

Foi muito importante pra mim descobrir que os sentimentos não tem moralidade, que são sinais de que algo acontece no meu íntimo. Isto me leva a me conhecer melhor, a aceitar meus limites, a aceitar as pessoas como são, com suas virtudes e seus limites. Ante sentimentos de raiva, de desilusão, de tristeza, não podia ficar no chão, fugir, julgar os outros, ou culpar-lhes. Tinha que tomar uma opção positiva, a opção de amar, de escutar, de aceitar, de perdoar o pedir perdão. Isto faz que dia após dia procure melhorar como pessoa e como sacerdote religioso. Mediante uma ferramenta que é o diálogo experimento a necessidade da oração, de viver o serviço, a entrega, a disponibilidade para com Deus e para com meu próximo, que é minha esposa, a Igreja. Eu, mediante meu sacramento, me comprometi a viver minha vida toda entregue a meu próximo para adorar e louvar a Deus. É com meu relacionamento com matrimônios do Encontro Matrimonial Mundial que procuro minha santificação. Daí que os efeitos, ate o presente, posso dizer que são positivos: me aceito e aceito as pessoas com suas virtudes e limites, aprendo a escutar, a pedir perdão e a perdoar. Minha vida de comunidade tem melhorado também. Tudo isto me faz sentir alegre e encorajado, como o jovem que tem um futuro promissor na sua vida.

Portanto, como membros ativos do Encontro Matrimonial Mundial, convidamos aos casais, bispos, sacerdotes, religiosas e religiosos, que ainda não deram seu SIM, a uma vivência sacramental num Fim de Semana de Encontro Matrimonial Mundial. Esta experiência está baseada nos sentimentos, no acolhimento, na alegria de um relacionamento sincero e franco, fraterno e livre de julgamentos e injustiças, onde a valorização das virtudes, pode nos guiar melhor para a realização do Plano de Deus em nossas vidas de casais, sacerdotes, religiosos/as.

Carinhosamente,

 

* EER NE 1 araujofco_10@hotmail.com

Deixe uma resposta