0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais

Domingo da Ascensão do Senhor – 28/05/2017

“Ide e fazei discípulos!” (Mt 28,19a)

Leituras: At 1,1-11; Sl 46[47]; Ef 1,17-23; Mt 28,16-20

 

  1. Começa a missão. Nos Atos dos Apóstolos, São Lucas narra as ações dos apóstolos, mostrando que o mesmo Espírito Santo que agiu em Jesus, age também em sua Igreja.

Jesus ordena-lhes: não se afastem de Jerusalém, pois o Pai vai cumprir a promessa de enviar-lhes o Espírito Santo. Jerusalém é importante para São Lucas. Ali começa e termina o Evangelho. É o ponto de chegada da missão de Jesus e o ponto de partida da missão apostólica, quando os discípulos se enchem da força do alto com a vinda do E. Santo.

À pergunta dos discípulos sobre a instauração do Reino, Jesus responde que tempo e data são reservados a autoridade do Pai. (cf. Mc 13,32). Aqui, Jesus aproveita para apontar a missão da Igreja, pois o Reino vai-se implantando, quando a face de Jesus for transparecendo através do testemunho.

Os discípulos, com a força do Espírito Santo, darão testemunho de Jesus em Jerusalém (capítulos de 1 a 7), na Judeia e na Samaria (capítulos de 8 a 9) e até aos extremos da terra, em referência a Roma, capital do Império Romano (capítulos de 10 a 28).

Enfim, Lucas descreve a elevação de Jesus para o firmamento do céu: Jesus foi glorificado pelo Pai e reina com ele na glória. A menção da nuvem lembra que Jesus não pertence mais ao mundo físico, mas à esfera do divino. Jesus não está mais fisicamente presente, mas, através do Espírito, eles devem continuar a missão de Jesus.

Agora, chegou a vez dos homens da Galileia, a vez dos discípulos, a vez da comunidade, a vez da Igreja. A volta de Jesus acontece no Pentecostes através do seu Espírito e através do testemunho concreto da comunidade, que não deve ficar olhando para o céu. É através da sua missão evangelizadora, vivendo a justiça, a fraternidade, o amor que Cristo vai voltando a aparecer visivelmente na comunidade, que é o seu corpo (cf. Ef 1,23).

 

  1. Igreja, Corpo de Cristo. As comunidades dos arredores de Éfeso corriam o risco de se influenciarem por filosofias que pregavam um Deus distante. Só se poderia chegar a Deus através de entidades extraordinárias, tais como soberanias, poderes, forças, dominações, e Jesus seria uma dessas entidades intermediárias.

O autor vai mostrar como Deus realiza seu plano divino de salvação através de Jesus, único Senhor e Salvador, que está acima de tudo e de todos. Ele pede que Deus dê para eles seu Espírito, para que possam conhecer o que Deus significa para eles. E precisam compreender 3 coisas: a) a esperança a que Deus os chamou para uma vida nova e gloriosa em Cristo; b) A herança própria dos filhos, herança repleta de riqueza e glória; c) A imensa grandeza do poder de Deus em favor deles.

Isto tudo vai ficar claro se eles perceberem que Deus já deu provas de seu poder ao ressuscitar Jesus dentre os mortos.

O autor fala da glorificação de Cristo, que o livro dos Atos chama de “subida aos céus” ou ascensão. Cristo está assentado à direita de Deus, quer dizer, ele reina com o Pai. Ele está acima de qualquer possível entidade extraordinária. Tudo foi colocado por Deus debaixo dos pés de Jesus; ele é o Senhor de tudo e foi colocado como cabeça da Igreja. A Igreja é seu corpo no mundo. Hoje, Cristo age através da Igreja, que é a “plenitude de Cristo, que preenche tudo em todo o universo”.

 

  1. Missão sem limites. Galileia é o lugar da Igreja, onde a comunidade se reencontra com seu Senhor e Mestre, e testemunha a presença viva de Jesus. A morte de Jesus é vida e ressurreição para ele e também para nós. A partida de Jesus significa presença forte no meio de nós. É quando estamos na “Galileia”, celebrando a vida, que sentimos sua presença: “O Senhor esteja convosco”. “Ele está no meio de nós”.

Jesus se encontra com seus discípulos no “monte”, ou seja, bem próximo do Pai, mas ainda no mundo. O monte relembra a atuação de Jesus, suas lutas, desafios (monte das tentações), ensinamentos e milagres (monte das bem-aventuranças), sua entrega e glorificação (monte da transfiguração e do Calvário).

Quantos duvidam e desanimam diante dos desafios das “subidas”. Mas Jesus glorificado transmite sua força à comunidade. A ele foi dada pelo Pai toda autoridade no céu e sobre a terra. Com essa autoridade, Jesus envia seus discípulos em missão. A missão não é fundar novas igrejas, mas conduzir todos os povos para a escola de Jesus: uma escola de justiça e de arquitetos do Reino.

E isso acontece através do batismo e da catequese. O batismo em nome da Trindade nos purifica do mundo mau e nos torna solidários cidadãos do Reino. Incorpora-nos na Igreja-comunidade-corpo de Cristo. A catequese, ou seja, o ensino e prática de tudo que Jesus ordenou, nos capacita para a prática da justiça nas pegadas de Jesus. E Jesus promete sua presença na comunidade todos os dias até o fim do mundo.

Leituras da semana

dia 29: At 19,1-18; Sl 67[68],2-5ac.6-7ab; Jo 16,29-33

dia 30: At 20,17-27; Sl 67[68],10-11.20-21; Jo 17,1-11a

dia 31: Sf 3,14-18; (Sl) Is 12,2-6; Lc 1,39-56

dia 1º: At 22,30;23,6-11; Sl 15[16],1-2a.5.7-11; Jo 17,20-26

dia 2: At 25,13b-21; Sl 102[103],1-2.11-12.19-20ab; Jo 21,15-19

dia 3: At 28,16-20.30-31; Sl 10[11],4.5.7; Jo 21,20-25

Foto: thefaithexplained

 

Deixe uma resposta