0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais

Cataquese – Roteiro

1. Celebração de início da cataquese

Preparar:
1. Bíblias para entregar às catequistas

2. Água benta para a bênção final

Estrutura da celebração

1. Entrar em procissão e colocar-se em local preparado para o grupo de cate­quizandos e para os catequistas;

2. Acolhida de quem preside;

3. Diálogo com catequizandos, cate­quistas e comunidade;

4. Oração;

5. Antes da Liturgia da Palavra: entre­ga da Bíblia aos catequistas;

6. No final, após a comunhão: envio dos catequizandos. Eles se colocam dian­te do altar para a bênção com água.

1. Acolhida
(opcional) Catequizandos e catequis­tas reúnem-se na entrada da Igreja e entram em procissão com quem pre­side a celebração, enquanto se entoa um canto apropriado, escolhido pela comunidade.

Comentário inicial: Sejam to- dos bem-vindos a esta celebração. Somos a Igreja reunida em torno do Senhor Jesus, para fazer memória de sua paixão, morte e ressurreição. Ele está no meio de nós. Nesta certeza, nos alegramos em acolher aqueles que se preparam para receber a Pri­meira Eucaristia. Vamos recebê-los junto com seus catequistas e pedir a bênção de Deus para o caminho que eles irão percorrer.

Saudação

S.: Em nome do Pai + e do Filho e do
Espírito Santo.

T.: Amém.

S.: O Senhor esteja convosco.

T.: Ele está no meio de nós.

S.: Estamos felizes em acolher cate­quizandos e catequistas que iniciam a caminhada em preparação à Primei­ra Eucaristia. Na certeza de que Cristo está no meio de nós, queremos abençoar esses irmãos e irmãs para a mis­são de conhecer e amar o Senhor Je­sus. Para que estejamos em unidade, vamos nos comprometer uns com os outros nessa estrada comum. Por isso, diante da comunidade aqui reunida, eu lhes pergunto:

a) (Dirigindo-se aos catequizandos) Vo­cês todos, que se preparam para parti­cipar da Mesa da Eucaristia, se dese­ jarem ser discípulos de Cristo e se ali­mentarem do seu Pão e da sua Palavra,
é preciso que vocês conheçam a Ver­dade que ele revelou, que aprendam a ter os mesmos sentimentos de Jesus, e vivam segundo o Evangelho. Amem o Senhor Deus e o próximo, como Cristo nos mandou fazer e ele mesmo nos deu o exemplo. Cada um de vocês es­tá de acordo com tudo isso?

Catequizandos: Estou!

b) (Dirigindo-se aos catequistas) E vo­cês, catequistas, a quem esta comuni­dade confia a missão de introduzir nos caminhos da fé e da Igreja estes cate­quizandos, vocês estão dispostos a en­caminhá-los no seguimento de Jesus, na oração, nas celebrações, na vida co­munitária e na solidariedade fraterna?

Catequistas: Estou!

c) (Dirigindo-se à comunidade) E vo­cês, que formam esta comunidade, es­tão dispostos a ajudar estes nossos ir­mãos e irmãs, acolhendo a Palavra do Senhor, alimentando-se da Eucaristia e testemunhando, com gestos e pala­vras, o que o Senhor nos revelou?

T.: Estamos!

S.: Que o Senhor confirme este propó­sito comum que assumimos como Igre­ja viva, discípula e missionária de Jesus Cristo. Que ele nos conduza pelos cami­nhos do Evangelho para que sua vontade se realize em nós. Isto pedimos ao Pai, pelo Filho Jesus, no Espírito Santo.

T.: Amém.

Glória (Hino de louvor)

Oração do Dia

2. Antes da Liturgia da Palavra (En­trega da Bíblia às catequistas)

Comentário: Convidamos os cate­quistas para se aproximarem da Me­sa da Palavra, onde receberão a Bíblia, Livro Santo da nossa fé, que deverão partilhar com seu grupo de catequese.

(O grupo de catequistas se aproxima da Mesa da Palavra e quem preside a celebração entrega a Bíblia a todos. Ao final, diz:)

S.: Recebam o livro da Palavra de Deus. Que ela seja luz para a sua vida. Trans­mitam o que ela ensina, e vivam o que ela pede.

Catequistas: Amém!

Leitura do dia Salmo do dia Leitura do dia
Aclamação ao Evangelho
Evangelho do dia
(Segue-se normalmente a celebração)

3. Bênção final e envio

Comentário: Convidamos a todos os catequizandos e catequistas para que se aproximem do altar da celebração e se ajoelhem para receber a bênção.

(De mãos estendidas sobre eles, quem preside diz a oração)

S.: Oremos. Deus de amor e bondade, que desejais salvar a todos e levá-los ao conhecimento da Verdade, aumentai a fé nos corações dos que se preparam para a Primeira Eucaristia, para serem dignos de participar da comunhão convosco. Sejam assim conduzidos pelo caminho do Evangelho. Vivam o amor e a solida­riedade com todas as pessoas e cuidem da natureza que vós criastes. Enfim, sejam herdeiros do Reino que para todos preparastes. Por Cristo, nosso Senhor.

T.: Amém.
(Aspergindo água, abençoar)

S.: E a todos vós aqui reunidos, aben­çoe-vos Deus todo poderoso, Pai + e Fi­lho e Espírito Santo.

T.: Amém.

2. Orientações para as celebrações
A catequese deve iniciar o catequi­zando na vida litúrgica da comunida­de. Nesse sentido, é importante que o catequista leve seu grupo de cate­quese em visitas à igreja com muita frequência. Na igreja podem ser rea­lizados os momentos de oração dos encontros e diversas práticas de devoções da religiosidade popular, co­mo a Via-Sacra, a oração do terço (ou dezena), adoração ao Santíssimo Sa­cramento etc.

O grupo de catequistas deve estar afinado com a equipe de liturgia. Disso depende uma boa celebração. a catequese é uma introdução na vida cristã, mais especificamente deve fa­zer ecoar a experiência do en­contro com Deus. Ora, as ce­lebrações litúrgicas são os lu­gares privilegiados para isto, quando a comunidade de fé está reunida em torno do se­nhor. será importante valori­zar os momentos de silêncio, o espaço sagrado, a Palavra de Deus, os cânticos. Tudo deve ajudar para que a criatura se encontre com o criador. as ce­lebrações devem fazer brilhar a presença de Deus no meio de seu povo.

Abaixo, seguem algumas sugestões para as celebrações na comunidade. É preciso fazer as adaptações necessá­rias à realidade e às situações de cada localidade. É muito interessante que sejam celebrações orantes, agradáveis e não prolongadas. Muitos pais e catequizandos não estão habituados à participação frequente de nossas ce­lebrações, neste caso, o menos é mais.

É importante propor celebrações onde todos sejam convidados a parti­cipar com suas famílias.

Sugestões de Celebrações

1. Participar das celebrações do Tríduo Pascal (especialmente a celebração da Instituição da Eucaristia – a Ceia do Senhor, na noite de quinta-feira san­ta; e a grande Vigília Pascal, na noite do Sábado de Aleluia);

2. Participar da celebração de um ba­tizado na comunidade;

3. Realizar na comunidade a celebração da Renovação das Promessas do Batismo;

4. Realizar a Celebração da Penitência
– Confissões (não fazer apenas como “desobriga”, nas vésperas da Primei­ra Eucaristia, mas antecipadamente, com a devida preparação nos encontros anteriores);

5. Em agosto, o mês dedicado às vo­cações, pode-se celebrar as diferentes vocações do cristão: o matrimônio (se­mana nacional da família), a vida religiosa, o sacerdócio. De modo especial, valorizar o papel dos leigos nos servi­ços da comunidade, sobretudo os leigos que se dedicam ao ministério da catequese.

Fonte: catedraldecaxias.org.br

Deixe uma resposta