0800 940 2377 - (31) 3490 3100 - (31) 3439 8000 assinaturas@olutador.org.br
A tentação da Igreja Participação ativa Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as) Chamados para uma missão Comitê de Bacia investe em saneamento

A tentação da Igreja

Carlos Scheid

Uma rápida varredura na História da Igreja permite identificar a tentação permanente que ronda o “pessoal da Igreja” – expressão de Jacques Maritain – quando a missão parece difícil, as barreiras se multiplicam e a solução aparente est…

Leia Mais

Participação ativa

Um dos princípios orientadores da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II foi o da “participação ativa”, como lemos no número 14 da Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium [SC]: “É desejo ardente na mãe Igreja que todos os fiéis cheguem à…

Leia Mais

Um porto seguro para casais, sacerdotes e religiosos(as)

O EMM nos dá um presente, que é viver o FDS, um verdadeiro encontro consigo, com o outro e com Deus, que nos mostra o caminho para a conversão com mudanças de atitudes, a escuta com o coração e com a decisão de amar sempre. Isto tem sido um porto seg…

Leia Mais

Chamados para uma missão

João da Silva Resende, SDN*

 

“Eu te segurei pela mão, te formei e te destinei para unir meu povo e ser luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que moram nas trevas.” (Is 42,6-7.) Assim …

Leia Mais

Comitê de Bacia investe em saneamento

CBH-Manhuaçu conclui 16 Planos Municipais e agora acompanha sua implantação.

Passam-se os anos, trocam-se governos, novas políticas públicas são anunciadas e o saneamento básico segue um descalabro no Brasil. Embora seja um direito previsto na Const…

Leia Mais
Revista Catolica O Lutador 3867 Papa Franscisco

A eclesialidade, fruto do Espírito Santo, anseio da família do Encontro Matrimonial Mundial

Frei Daniel, João e Silvana *

O Encontro Matrimonial Mundial no Brasil, que tem como missão proclamar o valor dos Sacramentos do Matrimônio e da Ordem Sagrada na Igreja e no mundo (ver O Lutador, nº 3864. p. 13), vive um novo tempo. Estamos começando em nossa caminhada de fé e de trabalhos a buscar a vivência intensa da Eclesialidade. É um tempo de redescoberta da nossa Visão, Missão e Carisma, inseridos na caminhada da Igreja.
Definimos como Eclesialidade o viver em unidade com a Igreja. “Sentir com a Igreja”, caminhar com a Igreja e ser participante da vida da Igreja.
É necessário estarmos atentos aos sinais de Deus, sobretudo à ação do Espírito Santo, para a renovação da caminhada do Encontro Matrimonial Mundial em nossa Igreja. Tudo isso em vista do bem comum e da abertura à novidade do Divino Espírito, que é a alma da Igreja. Ele suscita a harmonia com todos, não com exclusividade, pois todos somos vocacionados para ser, no conjunto, uma Igreja missionária. Assim, não se pode supor eclesialidade sem missionariedade.
Num primeiro momento, o sopro do Espírito Santo pode nos causar instabilidade e até medo. Mas, com toda certeza, traz novidade, e tudo o que é novo nos causa instabilidade, porque estamos acostumados a seguir nossos esquemas, nossas seguranças.
A Igreja é missionaria, nós somos missionários. Os Movimentos, e aqui especificamente o Encontro Matrimonial Mundial, serão Igreja se estiverem abertos ao sopro do Divino Espirito e ao seu convite para irem às periferias existenciais, às ruas, às casas, aos locais onde o povo de Deus está, privilegiando os pobres, os afastados, os que estão longe. Abraçar a proposta de ser uma Igreja em “saída” anunciada abertamente pelo nosso Papa Francisco. Em nossas programações, não podemos contemplar apenas aqueles que já estão conosco e fazer projetos que nos façam circular entre as quatro paredes de nossos locais de encontros.
A ação do Espírito, que traz novidades, quer que deixemos estruturas obsoletas, para seguir por novas estradas propostas pelo Senhor, pois em toda a História da Salvação, quando Deus se revela, traz novidade para o povo. Deus é Senhor da novidade, vocaciona cada um de nós para um serviço na sua Igreja e pede para confiarmos totalmente nele.
O sopro do Espírito, que num primeiro momento parece desorganizar a casa, é também o Senhor da Unidade, que não significa uniformidade, mas conduz as partes do todo à plena harmonia. Só o Espírito Santo pode suscitar a diversidade e, ao mesmo tempo, realizar a unidade, porque é Deus.
Quando nós, seguindo nossos critérios humanos, queremos realizar a diversidade e harmonia, acabamos por nos fechar em nossos particularismos e exclusivismos, causando a uniformidade e a desordem na vida da Igreja.
Quando o Senhor instituiu sua Igreja, enriqueceu-a com dons e carismas. “E aqueles que Deus estabeleceu na Igreja são, em primeiro lugar, apóstolos, em segundo profetas, em terceiro doutores…” (1Cor 12,28), para que nela e com ela todos pudessem caminhar juntos. Uma característica fundamental para cada cristão, movimento ou nova realidade é, primeiramente, a vocação à eclesialidade. É a Igreja que me traz o Cristo e me leva a Cristo. Os caminhos que porventura vierem sem a comunhão eclesial são caminhos errôneos, portanto, não unidos a Jesus Cristo (cf. 2Jo 1,9).
Como cremos que é o Espírito Santo de Deus que suscita inovações para cada momento da caminhada da Igreja, impelindo-a a novos horizontes, possamos estar convictos de que o Espírito Santo faz-nos entrar no mistério do Deus vivo e nos salva do perigo de uma Igreja fechada em si, mas aberta a anunciar e partilhar seu maior tesouro, seu Mestre e Senhor Jesus Cristo, em cada casal, sacerdote ou religioso (a) do nosso amado Encontro Matrimonial Mundial.
Se desejar fazer parte desta nossa Missão, tendo como Visão “Amem-se uns aos outros como Eu os amei”, e tornando vivo e testemunhante nosso Carisma – “a fé através do relacionamento” –, consulte-nos em nosso site http://www.encontromatrimonial.com.br e junte-se a nós.] * EER – Regional Sul II

Deixe uma resposta